Institucional

Estrutura FGV

Presidente

Carlos Ivan Simonsen Leal

Vice-presidentes

Francisco Oswaldo Neves Dornelles (licenciado)
Marcos Cintra Cavalcanti de Albuquerque (licenciado)
Sergio Franklin Quintella

Diretores

Antônio Carlos Pôrto Gonçalves - Diretoria de Estudos de Novos Negócios (DENN)
Antonio de Araújo Freitas - FGV Pró-Reitoria
Bianor Cavalcanti - Diretoria Internacional (DINT)
Carlos Geraldo Langoni - Centro de Economia Mundial (CEM)
Carlos Otavio de Vasconcellos Quintella - FGV Energia 
Celso Castro - Escola de Ciências Sociais (CPDOC)
Cesar Cunha Campos - FGV Projetos
Flavio Vasconcelos - Escola Brasileira de Administração Pública e de Empresas (EBAPE)
Goret Pereira Paulo - Rede de Pesquisa e Conhecimento Aplicado
João Carlos de Luca - Comitê de Cooperação Empresarial (CCE)
Joaquim Falcão - Escola de Direito do Rio de Janeiro (DIREITO RIO)
Joisa Campanher Dutra Saraiva - Centro de Estudos em Regulação e Infraestrutura (CERI)
Julian Chacel - Câmara de Mediação e Arbitragem 
Luiz Artur Ledur Brito - Escola de Administração de Empresas de São Paulo (EAESP)
Luiz Guilherme Schymura - Instituto Brasileiro de Economia (IBRE)
Marcelo Neri - FGV Social
Marco Aurelio Ruediger - Diretoria de Análise de Políticas Públicas (DAPP)
Marcos Facó - Diretoria de Comunicação e Marketing (DICOM)
Maria Alice da Justa Lemos - Diretoria de Controles Internos (DCI)
Maria Izabel Camacho - Escola de Matemática Aplicada (EMAp)
Maria Tereza Fleury - Diretoria para Assuntos da FGV - São Paulo
Marieta de Moraes Ferreira - Editora FGV e Sistema de Bibliotecas 
Mario Rocha - Diretoria de Operações (DO)
Oscar Vilhena Vieira - Escola de Direito de São Paulo (DIREITO SP)
Renato Galvão Flôres Junior - Núcleo de Prospecção e Inteligência Internacional (NPII)
Roberto Castello Branco - FGV Crescimento e Desenvolvimento
Rubens Mario Alberto Wachholz - Instituto de Desenvolvimento Educacional (IDE)
Rubens Penha Cysne - Escola Brasileira de Economia e Finanças (EPGE)
Yoshiaki Nakano -  Escola de Economia de São Paulo (EESP)

Presidente

Carlos Ivan Simonsen Leal

Vice-presidentes

Francisco Oswaldo Neves Dornelles (licenciado)
Marcos Cintra Cavalcanti de Albuquerque (licenciado)
Sergio Franklin Quintella

Vogais

Armando Klabin
Carlos Alberto Pires de Carvalho e Albuquerque
Cristiano Buarque Franco Neto
Ernane Galvêas
José Luiz Miranda
Lindolpho de Carvalho Dias
Marcílio Marques Moreira
Roberto Paulo Cezar de Andrade

Suplentes

Aldo Floris
Antonio Monteiro de Castro Filho
Ary Oswaldo Mattos Filho
Eduardo Baptista Vianna
Gilberto Duarte Prado
Jacob Palis Júnior
José Ermírio de Moraes Neto
Marcelo José Basílio de Souza Marinho
Mauricio Matos Peixoto

Presidente

Carlos Alberto Lenz César Protásio

Vice-presidente

João Alfredo Dias Lins (Klabin Irmãos & Cia.)

Vogais

Alexandre Koch Torres de Assis
Antonio Alberto Gouvêa Vieira
Andrea Martini (Souza Cruz S/A)
Eduardo M. Krieger
Estado da Bahia
Estado do Rio de Janeiro
Estado do Rio Grande do Sul
Luiz Chor
Luiz Ildefonso Simões Lopes
Marcelo Serfaty
Marcio João de Andrade Fortes
Miguel Pachá
Murilo Portugal Filho (Federação Brasileira de Bancos)
Pedro Henrique Mariani Bittencourt
Tarcísio Godoy (IRB-Brasil Resseguros S.A.)
Ronaldo Vilela (Sindicato das Empresas de Seguros Privados, de Previdência Complementar e de Capitalização nos Estados do Rio de Janeiro e do Espírito Santo)
Sandoval Carneiro Junior
Willy Otto Jordan Neto

Suplentes

Almirante Luiz Guilherme Sá de Gusmão
Clóvis Torres (Vale S.A.)
General Joaquim Maia Brandão Júnior
José Carlos Schmidt Murta Ribeiro
Luiz Roberto Nascimento Silva
Manoel Fernando Thompson Motta Filho
Nilson Teixeira (Banco de Investimentos Crédit Suisse S.A)
Olavo Monteiro de Carvalho (Monteiro Aranha Participações S.A)
Patrick de Larragoiti Lucas (Sul América Companhia Nacional de Seguros)
Rui Barreto (Café Solúvel Brasília S.A)
Sergio Lins Andrade
Victório Carlos De Marchi

Presidência
Carlos Ivan Simonsen Leal
Presidente da Fundação Getulio Vargas

Nossa produção acadêmica não fica a dever em nada à das mais avançadas instituições de ensino do mundo, com muitas das quais inclusive mantemos convênios de intercâmbio. Assim, podemos afirmar que o limite dos horizontes da Fundação Getulio Vargas é o limite da sua imaginação. Podemos assegurar que as atividades da FGV voltam-se, desde o início de sua história, para áreas estratégicas da vida nacional, como a administração pública, a economia, a história e a área jurídica. A administração pública é essencial ao reforço do conceito positivo de burocracia do Estado, e é essencial para o Brasil ser uma grande democracia.

Importante referência de ensino no país e no exterior pelos seus programas de graduação, mestrado e doutorado, e pelos seus trabalhos de consultoria, a Fundação Getulio Vargas trabalha de coração e mente voltados para o estímulo ao desenvolvimento nacional. Como centro de excelência, no entanto, nossa preocupação é a de ser, permanentemente, uma instituição inovadora, tanto para seus alunos, como para a sociedade de uma forma geral.

A FGV é uma entidade que olha para o mundo à procura do moderno. Procuramos o que pode ser útil e adaptável ao crescimento do Brasil, de modo a transformá-lo em uma Nação mais justa e evoluída. A partir, portanto, de suas próprias reflexões e das demandas trazidas pelos ventos da globalização é que a FGV cria novos paradigmas de aprimoramento e os apresenta, quase que de imediato, ao seu público formado por executivos, profissionais e jovens estudantes em busca do conhecimento. Nossos cursos, programas e atividades acompanham, rigorosamente, a evolução das empresas e suas necessidades em termos de qualificação e especialização profissional. 

Do mesmo modo, a economia é fundamental para que tenhamos um país desenvolvido. Não seremos uma grande Nação se não possuirmos uma economia pujante, imprescindível para se elaborar planejamentos estratégicos. E estamos presentes também no Direito, porque constatamos que era preciso inovar nessa área e trazer a contribuição da nossa interdisciplinaridade. O mesmo acontecerá nos campos da Ciência Política e da História. Se a Fundação Getulio Vargas é uma instituição ímpar, pioneira em diversos projetos na área da educação superior e em projetos de assistência a empresas e órgãos da administração pública direta e indireta, bem o deve ao manancial inesgotável de talentos que compõem o quadro de seus dirigentes, professores, alunos e funcionários. Berço de ilustres personalidades como ministros, presidentes, diretores e autoridades governamentais, a FGV também evoluiu pelo esforço e pelo empenho de seus competentes professores e zelosos funcionários, sempre merecedores do nosso reconhecimento. Podemos afirmar, portanto, que desde a sua fundação, em 1944, esta casa não se limita ao seu espaço físico, seus prédios, objetos e programas. Cabe ressaltar aqui, também, a importância que representa para a FGV a manutenção de sua independência e a pluralidade de seus pontos de vista, que, aliás, também são marcas da própria FGV. O apartidarismo da instituição não a impede de propugnar políticas e ideais que ajudem a conduzir o país ao progresso e ao bem-estar econômico e social.

Missão e história

História

A Fundação Getulio Vargas surgiu em 20 de dezembro de 1944. Seu objetivo inicial era preparar pessoal qualificado para a administração pública e privada do País. Na época, o Brasil já começava a lançar as bases para o crescimento que se confirmaria nas décadas seguintes. Antevendo a chegada de um novo tempo, a FGV decidiu expandir seu foco de atuação e, do campo restrito da administração, passou ao mais amplo das ciências sociais e econômicas. A instituição extrapolou as fronteiras do ensino e avançou pelas áreas da pesquisa e da informação, até converter-se em sinônimo de centro de qualidade e de excelência.

Marca de pioneirismo e ousadia, a Fundação Getulio Vargas inaugurou, no Brasil, a graduação e a pós-graduação stricto sensu em administração pública e privada, bem como a pós-graduação em economia, psicologia, ciências contábeis e educação. A FGV também lançou as bases para uma economia bem fundamentada, a partir da elaboração do balanço de pagamento, das contas nacionais e dos índices econômicos. Iniciativas como essas ajudaram o profissional em busca de formação e até o cidadão comum a entenderem melhor o desempenho econômico e social brasileiro.

Talento

A confiabilidade dos critérios e das ações da FGV foi construída ao longo de gerações pelo talento e a dedicação de homens da estirpe de Luiz Narciso Alves de Mattos, Eugenio Gudin, Themistocles Brandão Cavalcanti, Alexandre Kafka, Octavio Gouvêa de Bulhões, Emílio Mira y Lopes e Mario Henrique Simonsen, entre outros, cuja força de vontade sempre superou todos os obstáculos. Graças a esses idealistas e ao seu empenho, líderes políticos e empresariais, executivos, pesquisadores e estudantes renovam continuamente a confiança na reputação e nos princípios da instituição, fortalecendo seu prestígio dentro e fora do País.

Os bens, produtos e serviços oferecidos pela Fundação Getulio Vargas contribuem, de modo permanente, para a elevação da produtividade e da competitividade de um grande número de empresas e para o aprimoramento de organismos públicos municipais, estaduais e federais. O sólido conhecimento das dinâmicas e práticas do mercado e a alta competência acadêmica e experiência internacional de seu corpo docente possibilitaram à FGV conceber uma oferta diversificada e abrangente para as necessidades e expectativas de seu público, seja da área governamental ou do setor privado.

Estímulo

Líder na criação e no aperfeiçoamento de ideias que contribuem para o desenvolvimento nacional, a FGV investe e estimula a pesquisa acadêmica, o que tem resultado em uma produção de relevância, reconhecida nacional e internacionalmente. Os temas abrangem a macro e microeconomia, finanças, direito, saúde, previdência social, pobreza e desemprego, poluição e desenvolvimento sustentável. Também são mantidos programas de pesquisa em história, ciências sociais, educação, justiça, cidadania e política

A Fundação realiza, ainda, trabalhos sob encomenda para o setor público, iniciativa privada e organismos internacionais, como o Banco Mundial. Além disso, através do Instituto Brasileiro de Economia (IBRE), gera e divulga, como bens públicos, indicadores e relatórios que contribuem para o direcionamento da economia brasileira.

Missão

Estimular o desenvolvimento socioeconômico nacional.

Visão

Ser reconhecida como instituição inovadora, comprometida com o desenvolvimento nacional, pela formação de uma elite acadêmica, pela geração de bens públicos nas áreas sociais e afins, garantindo a sua sustentabilidade econômica com a prestação de serviços de qualidade e elevado padrão ético.

Valores Institucionais

Trata-se de capturar o ideário nacional criando uma imagem multifacetada:

  • - É uma instituição com tradição de seriedade e competência com mais de 70 anos de serviços; porém, é inovadora e dinâmica;
  • - É uma instituição apartidária, mas com uma forte ideologia do interesse nacional;
  • - Preocupada em gerar oportunidades iguais, defende o direito à desigualdade pelo mérito;
  • - Tecnicamente procurará ser a melhor em todas as áreas que atua. 

Código de Ética

O Código de Ética é destinado a nortear as relações humanas no âmbito da Fundação Getulio Vargas e contempla os princípios universais, bem como outras recomendações específicas peculiares à Instituição, que tem caráter técnico-científico e educativo, é pessoa jurídica de direito privado, de natureza filantrópica e sem objetivo de lucro.

Dentro desse espírito, todos aqueles que mantenham vínculo de trabalho, bem como aqueles que mantenham vínculo educacional com a FGV deverão compatibilizar seus valores individuais com os estabelecidos neste Código de Ética.

Faça o download aqui.

Estatuto FGV

Faça download aqui.

Prestação de Contas

Anualmente a Fundação Getulio Vargas publica declaração acerca de suas Unidades, de seu ideário, de suas atividades, de seus investimentos em ativo fixo, das subvenções e auxílios recebidos e de seus balanços. Faça o download aqui.

FGV em Números

5.401
alunos de graduação
1.489
alunos de mestrado
481
alunos de doutorado
852
alunos graduados
103.770
alunos em educação continuada
395
estudos e pesquisas regulares e concluídos
3.059
produções intelectuais de professores, pesquisadores e técnicos
621
promoção e copromoção de congressos e seminários
301
projetos de assessorias técnicas
197
livros editados
501
dissertações de mestrado aprovadas
98
teses de doutorados aprovadas
* Dados consolidados referentes a 2016

Annual Report

Com o objetivo de oferecer total transparência sobre as principais atividades e resultados da Fundação Getulio Vargas ao longo de cada ano, o Annual Report está disponível para o acesso da comunidade nacional e internacional a todos os números da Fundação, produção acadêmica, escolas, centros, unidades, além de artigos sobre temas relevantes do cenário socioeconômico.

FGV no mundo

A Fundação Getulio Vargas possui uma longa tradição de excelência em pesquisa, inovação e consultoria em Administração, Economia, Direito e Ciências Sociais, além da Matemática Aplicada. Como um dos 10 melhores think tanks do mundo, a FGV aposta nos acordos de cooperação acadêmica com instituições renomadas no mundo inteiro que incluem a realização de pesquisas, projetos conjuntos e intercâmbio de alunos e professores.

Avaliações sobre a Instituição FGV

Global Go To Think Tanks Rankings
Emerging /Trendence Global Employability Ranking
QS Global 200 MBA Rankings
Rankings do Financial Times
MEC/IGC – Índice Geral de Cursos
ENADE – Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes