FGV contribui para desenvolvimento das fronteiras brasileiras
Institucional
08 Novembro 2017

FGV contribui para desenvolvimento das fronteiras brasileiras

A ideia principal por trás da capacitação foi proporcionar um ambiente de colaboração e troca de ideias entre formuladores de políticas públicas e tomadores de decisão brasileiros e colombianos como forma de intensificar as relações pessoais, provocando o debate construtivo sobre políticas locais integradas.

O Centro Latino-americano de Políticas Públicas da FGV (CLPP) vem acompanhando de perto as atividades fronteiriças do Brasil com seus países vizinhos. Ao longo dos últimos dois anos, participou de distintas atividades envolvendo a integração de fronteiras do Brasil com o Paraguai, o Peru e a Colômbia. Levando-se em consideração o crescimento da importância das relações brasileiro-colombianas na região amazônica que separa os dois países, o CLPP, integrado à comitiva oficial brasileira chefiada pelo Itamaraty, participou da Reunião da Comissão de Vizinhança e Integração Fronteiriça Brasil-Colômbia, com o objetivo de articular a realização de treinamento e capacitação para funcionários públicos lotados nas cidades-irmãs fronteiriças de Letícia (Colômbia) e Tabatinga (Brasil).

O projeto coordenado pelo CLPP denominou-se “Programa Binacional de Capacitação em Administração Pública em Letícia-Tabatinga” e contou com a participação de 40 funcionários públicos da região, sendo 20 colombianos e 20 brasileiros. A ideia principal por trás da capacitação foi proporcionar um ambiente de colaboração e troca de ideias entre formuladores de políticas públicas e tomadores de decisão brasileiros e colombianos como forma de intensificar as relações pessoais, provocando o debate construtivo sobre políticas locais integradas. Um importante componente do programa de capacitação foi a apresentação de ferramentas práticas para a elaboração de projetos públicos que contemplem a visão integrada de ambas as cidades, uma vez que pensar o arranjo populacional local integrado é mais vantajoso do ponto de vista de ganhos em escala e atração de investimentos do que pensar as duas cidades separadamente.

O programa de capacitação incluiu também a participação da Escola Superior de Administração Pública da Colômbia (ESAP) e contou com financiamento do Banco de Desenvolvimento da América Latina (CAF). A FGV foi representada no corpo docente do programa pelo professor da Escola Brasileira de Administração Pública e de Empresas da FGV (EBAPE), Istvan Kasznar, e pelo coordenador de projetos do CLPP, Klaus Stier.

A região de fronteira brasileiro-colombiana ganha especial atenção das autoridades diplomáticas dos dois países a partir da nova agenda de pós-conflito da Colômbia. A abertura do diálogo e a construção de consensos entre agentes políticos e econômicos de cada lado da fronteira destaca-se como um passo fundamental para a elaboração de projetos de integração que brindem o desenvolvimento social local a partir de uma lógica de ganhos compartilhados, contribuindo para o fortalecimento institucional da região fronteiriça com externalidades positivas para a segurança e o bem-estar de ambos os países.

Eventos