Inflação entre idosos cai no 2º trimestre de 2017
Economia
14 Julho 2017

Inflação entre idosos cai no 2º trimestre de 2017

Cinco das oito classes de despesa componentes do índice registraram decréscimo em suas taxas de variação. A principal contribuição partiu do grupo habitação, cuja taxa passou de 2,02% para 0,40%. O item que mais influenciou o comportamento desta classe de despesa foi tarifa de eletricidade residencial, que variou -2,46%, no segundo trimestre, ante 5,76%, no anterior.

O Índice de Preços ao Consumidor da Terceira Idade (IPC-3i), que mede a variação da cesta de consumo de famílias majoritariamente compostas por indivíduos com mais de 60 anos de idade, registrou no segundo trimestre de 2017, variação de 0,50%. Em 12 meses, o IPC-3i acumula alta de 3,51%. Com este resultado, a variação do indicador ficou acima da taxa acumulada pelo IPC-BR, que foi de 3,44%, no mesmo período.

Na passagem do primeiro trimestre de 2017 para o segundo, a taxa do IPC-3i registrou decréscimo de 0,87 ponto percentual, passando de 1,38% para 0,50%. Cinco das oito classes de despesa componentes do índice registraram decréscimo em suas taxas de variação. A principal contribuição partiu do grupo habitação, cuja taxa passou de 2,02% para 0,40%. O item que mais influenciou o comportamento desta classe de despesa foi tarifa de eletricidade residencial, que variou -2,46%, no segundo trimestre, ante 5,76%, no anterior.

Contribuíram também para o decréscimo da taxa do IPC-3i os grupos: alimentação (1,12% para -0,94%), educação, leitura e recreação (2,95% para 0,08%), transportes (0,39% para -0,52%) e despesas diversas (1,51% para 1,16%). Para cada uma destas classes de despesa, vale citar o comportamento dos itens: frutas (1,97% para -19,22%), cursos formais (9,19% para 0,00%), tarifa ônibus urbano (4,48% para 0,83%) e cigarros (1,72% para 0,00%),respectivamente.

Em contrapartida, os grupos Saúde e Cuidados Pessoais (1,74% para 2,70%), Comunicação (-1,07% para 0,75%) e Vestuário (-0,19% para 1,18%) apresentaram acréscimo em suas taxas de variação. Os itens que mais contribuíram para estes movimentos foram: medicamentos em geral (0,13% para 3,43%), tarifa de telefone residencial (-3,75% para -0,22%) e roupas (-1,09% para 1,58%), respectivamente.

O resultado completo está disponível no site