Pesquisa sobre redução de riscos nucleares da FGV recebe apoio de think tanks dos EUA
Ciências Sociais
20 Julho 2017

Pesquisa sobre redução de riscos nucleares da FGV recebe apoio de think tanks dos EUA

A iniciativa visa identificar mecanismos internacionais de governança no setor nuclear com o objetivo de reduzir o risco de proliferação do terrorismo, bem como danos ambientais e à saúde, tirando vantagens da posição única que o Brasil goza no ordenamento nuclear mundial.

O projeto “Reducing Nuclear Risks in Brazil Through Democratic Governance”, do Centro de Relações Internacionais da FGV, recebeu apoio financeiro da Carnegie Corporation of New York e da Fundação John D. and Catherine T. MacArthur, ambos dos EUA. O objetivo das duas instituições financiadoras é promover projetos com uma abordagem de pesquisa inovadora na área de segurança nuclear. A pesquisa é conduzida pelo professor Matias Spektor, coordenador do Centro de Relações Internacionais da FGV, sediado na Escola de Ciências Sociais da FGV (CPDOC).

A iniciativa visa identificar mecanismos internacionais de governança no setor nuclear com o objetivo de reduzir o risco de proliferação do terrorismo, bem como danos ambientais e à saúde, tirando vantagens da posição única que o Brasil goza no ordenamento nuclear mundial. Por ser um dos poucos países do mundo com capacidade instalada para enriquecer urânio e por ter um projeto sui generis de propulsão nuclear para submarinos, o país pode dar uma grande contribuição à comunidade internacional.

A diretora do Programa de Desafios Nucleares da Fundação MacArthur, Emma Belcher, afirma que a organização busca “projetos que possam ajudar a reduzir o risco nuclear ao demonstrar novas abordagens aos problemas existentes, criar parcerias novas e importantes, e produzir ideias por meio das quais governos e indústria possam atuar”. O projeto “Reducing Nuclear Risks in Brazil Through Democratic Governance” terá duração de dois anos.