Estudo avalia concessão de refúgio e impacto do fluxo de venezuelanos no país

Em 2016, os venezuelanos se tornaram a nacionalidade com o maior número de solicitações de refúgio no Brasil, em razão da crise política securitária, econômica e de abastecimento que vive o país, porém o Comitê Nacional para os Refugiados (Conare) não os reconhece como refugiados, de acordo com a legislação.
公共政策
06 十月 2017
Estudo avalia concessão de refúgio e impacto do fluxo de venezuelanos no país

O Estudo “Refúgio no Brasil: avanços legais e entraves burocráticos”, da Diretoria de Análise de Políticas Públicas (DAPP) da FGV, mostra de forma detalhada como funcionam as concessões de refúgio e o impacto do recente fluxo de venezuelanos no Brasil. Diante do aumento dos pedidos de refúgio, o estudo mapeia a gestão administrativa da questão e aponta possíveis gargalos.

Em 2016, os venezuelanos se tornaram a nacionalidade com o maior número de solicitações de refúgio no Brasil, em razão da crise política securitária, econômica e de abastecimento que vive o país, porém o Comitê Nacional para os Refugiados (Conare) não os reconhece como refugiados, de acordo com a legislação. Em razão desta limitação, o Brasil teve que buscar outras soluções para resolver dois casos humanitários emblemáticos no país: os grandes fluxos de entrada de haitianos, a partir de 2010, e de venezuelanos, a partir de 2015, ambos pela fronteira terrestre, em distintos pontos da região Norte.

Portanto, em casos específicos de razões humanitárias, o Conselho Nacional de Imigração (CNIG) concede, em caráter excepcional, vistos permanentes aos nacionais do Haiti e Venezuela. A revalidação de diplomas é outra questão que também tomou novos rumos, em razão do aumento de pedidos de refúgio, através da ferramenta Carolina Bori, lançada pelo Ministério da Educação e foi tema de uma outra análise da DAPP.

Considerando o interesse declarado do Estado brasileiro na imigração para fins de desenvolvimento econômico, captação de mão de obra qualificada, reconhecimento científico e profissional, e integração econômica do imigrante, o estudo mostra que a falha na gestão das políticas de refúgio prejudica alguns interesses nacionais.

“No processo de regulamentação do novo marco legal de imigração no Brasil, a DAPP tem produzido uma série de análises que objetivam ampliar o debate sobre o tema e apontar gargalos na gestão da imigração no país. Esta análise, em particular, identifica que a demora entre as solicitações de refúgio e o julgamento dos processos gera um descompasso na inserção desses indivíduos no mercado formal de trabalho. Apesar da obtenção de uma carteira de trabalho provisória, enquanto o processo não for julgado e deferido, os solicitantes de refúgio não podem revalidar seus diplomas profissionais”, explica a pesquisadora Ana Guedes.

A pesquisa completa está disponível no site.

Our website collects information about your device and browsing activity through the use of cookies seeking to allow features such as: improving the technical functioning of web pages, measuring the diffusion of the website and offering relevant products and services through personal advertisement. To find out more about the information and cookies we collect, visit our Cookie Policy and our Privacy Policy (available soon in English).