Evento em SP debate perspectivas econômicas e políticas para o Brasil em 2019

O objetivo do evento é analisar panorama político-econômico que o novo governo irá encontrar a partir do próximo ano, bem como os desafios e oportunidades que 2019 reserva aos brasileiros.
经济学
22 十一月 2018
Evento em SP debate perspectivas econômicas e políticas para o Brasil em 2019

O Centro Macro Brasil da Escola de Economia de São Paulo (FGV EESP) realiza, no dia 23 de novembro, a partir das 8h30, o seminário “Perspectivas Econômicas e Políticas em 2019”. O evento, que será realizado na sede da FGV EESP (Rua Itapeva, 474 - Bela Vista, São Paulo/SP), vai contar apresentação do diretor de Política Monetária do Banco Central do Brasil, Reinaldo Le Grazie, sobre a conjuntura econômica brasileira e internacional a partir do ponto de vista da autoridade monetária além de um painel sobre o panorama brasileiro para o próximo ano. Na sequência, o professor Marcelo Kfoury Muinhos coordena um debate sobre como será o primeiro ano do novo governo.

O objetivo do evento é analisar panorama político-econômico que o novo governo irá encontrar a partir do próximo ano, bem como os desafios e oportunidades que 2019 reserva aos brasileiros. O economista do Instituto Brasileiro de Economia (FGV IBRE), Samuel Pessoa, vai apresentar uma visão sobre quais as reformas que devem ser prioritárias para destravar a economia e promover um retorno a um crescimento sustentável acima dos resultados dos dois últimos anos.

Luiz Fernando Figueiredo, da Mauá Capital, vai fazer uma análise sobre o tempo que o mercado dará ao presidente eleito para mostrar ao que veio. Quais os deadlines e as reformas que senão aprovadas podem desencantar o mercado financeiro e azedar o bom humor reinante. Além disso será dada especial atenção à economia mundial e o contagio ao Brasil.

Por fim, Fernando Limongi analisará o futuro congresso e as chances de aprovação de uma agenda de reformas mesmo com uma relação diferente com os políticos. A alta rejeição e a aprovação de reformas impopulares podem afetar a taxa de aprovação do presidente eleito e dificultar uma relação menos fisiológica com o Congresso.

Para mais informações e inscrições, acesse o site.