IVAR: Índice de Variação de Aluguéis Residenciais - Resultados 2022

O IVAR é divulgado mensalmente pelo Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (FGV IBRE). Nesse espaço serão publicadas todas informações referentes às publicações desse importante indicador em 2022.
经济学
11 四月 2022
IVAR: Índice de Variação de Aluguéis Residenciais - Resultados 2022

O Índice de Variação dos Aluguéis Residenciais (IVAR) foi lançado em janeiro de 2022 e é divulgado mensalmente pelo Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (FGV IBRE). Acompanhe os resultados do indicador em 2022 mês a mês:

Janeiro de 2022
 

O Índice de Variação de Aluguéis Residenciais (IVAR) subiu 1,86% em janeiro de 2022. Houve aceleração com relação à taxa registrada em dezembro de 2021, de 0,66%. Com este resultado, o índice acumula variação de 1,23% em 12 meses, representando também uma aceleração na comparação com a taxa interanual apurada em dezembro, de -0,61%. 

Confira o resultado completo.

Fevereiro de 2022
 

Índice de Variação de Aluguéis Residenciais (IVAR) subiu 2,92% em fevereiro de 2022, o que representa uma aceleração em relação à taxa de 1,86% registrada no mês passado. Com o resultado, o índice passa a acumular variação de 4,76% em 12 meses, a maior variação acumulada pelo IVAR desde o início da série histórica, em janeiro de 2019.

Confira o resultado completo

Março 2022
 

Índice de Variação de Aluguéis Residenciais (IVAR) subiu 0,81% em março de 2022, o que representa uma desaceleração em relação à taxa mensal de 2,92% registrada no mês passado. Com o resultado, o índice passa a acumular variação de 6,24% em 12 meses, a maior nesta base de comparação desde o início da série histórica, em janeiro de 2019.

Confira o resultado completo.

Abril 2022
 

Índice de Variação de Aluguéis Residenciais (IVAR) subiu 0,82% em abril de 2022, o que representa uma estabilidade em relação à taxa mensal de 0,81% registrada no mês anterior. Com o resultado, o índice passa a acumular variação de 8,24% em 12 meses, a maior nesta base de comparação desde o início da série histórica, em janeiro de 2019.

Confira o resultado completo.

Maio 2022
 

Índice de Variação de Aluguéis Residenciais (IVAR) subiu 0,59% em maio de 2022, o que representa uma desaceleração em relação à taxa mensal de 0,82% registrada no mês anterior. Com o resultado, o índice passa a acumular variação de 8,83% em 12 meses, a maior nesta base de comparação desde o início da série histórica, em janeiro de 2019.

Confira o resultado completo

Junho 2022
 

O Índice de Variação de Aluguéis Residenciais (IVAR) caiu 0,31% em junho de 2022, o que representa uma desaceleração em relação à taxa de 0,59% registrada no mês anterior. Com o resultado, a taxa acumulada em 12 meses passou de 8,83% em maio para 8,05% em junho. 

Confir o resultado completo.

Calendário de divulgação 2022:
 

O que é o IVAR?
 

O Índice de Variação de Aluguéis Residenciais (IVAR), calculado pela Fundação Getulio Vargas, mede a evolução mensal dos valores de aluguéis residenciais em quatro das principais capitais brasileiras – Rio de Janeiro, São Paulo, Belo Horizonte e Porto Alegre – com base em informações anonimizadas de contratos de locação obtidas pelo FGV IBRE junto a empresas administradoras de imóveis. O IVAR representa um aprimoramento das estatísticas sobre aluguéis residenciais do FGV IBRE e também passa a compor as diferentes versões do IPC/FGV no subitem Aluguel Residencial.

Por que o IVAR foi criado?
 

Para mensurar a evolução dos valores de aluguéis residenciais no Brasil levando em consideração os valores de transação, ou seja, com base em contratos de locação efetivamente firmados, sejam novos ou contratos renegociados e seus reajustes anuais. O objetivo é oferecer um índice que reflita de maneira mais fiel a realidade do mercado imobiliário, e que sirva como bom balizador também para definição de políticas públicas.

Como o IVAR é calculado?
 

O índice é calculado considerando-se o valor dos aluguéis, características dos imóveis e efeitos das variações do mercado. Os dados usados na elaboração do IVAR são valores de contratos fornecidos por um conjunto de agentes do mercado imobiliário que fazem a intermediação de operações de locação. A atualização desses valores ao longo do tempo para um mesmo imóvel ocorre em momentos pré-estabelecidos nos contratos para reajustes, ou por negociações entre as partes no meio desses períodos. Um mesmo imóvel é seguido ao longo do tempo em diferentes contratos, como parte da dinâmica natural do mercado. Em qualquer uma dessas circunstâncias, os valores considerados são aqueles efetivamente desembolsados pelos locatários em cada período do tempo, constituindo, portanto, a informação ideal para o cálculo de um índice que reflita a evolução dos fundamentos do mercado imobiliário.

IVAR X IGP-M
 

O IVAR e o IGP-M são índices bem distintos.

O IGP-M é a média da inflação em três grandes setores da economia, seja o agronegócio e a indústria da transformação, as despesas das famílias e, também, as despesas com materiais e serviços da construção – 60% Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA); 30% Índice de Preços ao Consumidor (IPC); e 10% Índice Nacional de Custo da Construção (INCC). Dessa forma, o IGP-M é um índice amplo: mede a variação média de serviços e produtos que desafiam várias indústrias e setores da economia. O IGP-M é fortemente influenciado pelo dólar e pelo preço das commodities no mercado internacional.

O IVAR é um índice específico para a medição da variação dos aluguéis residenciais. Mede a variação de preço para qualquer fim.

Our website collects information from your device and your browsing and uses technologies such as cookies to store it and enable features, including: improve the technical functioning of the pages, measure the website's audience and offer relevant products and services through personalized ads. For more information about this Portal, access our Cookie Notice and our Privacy Notice.