Alunos da EBAPE visitam ONG na zona portuária

机构
27 五月 2013

Como atividade da disciplina Marketing I, lecionada pelo professor Sergio Wanderley, os alunos do 5ª período da graduação da EBAPE realizaram na manhã do dia 23 de maio uma visita ao Galpão Aplauso ? organização não governamental (ONG) criada para viabilizar programas, projetos e ações sociais nas áreas de arte e cultura, além de educação para o trabalho, beneficiando jovens de diversas comunidades do Rio de Janeiro. Localizado na zona portuária da cidade, o galpão oferece atividades artísticas e capacitação para trabalho em estaleiros e marinha mercante, a fim de que os participantes desenvolvam valores como cidadãos. Esta é uma maneira de colocarmos em prática os diferentes conceitos que aprendemos ao longo da disciplina de forma aplicada ao nosso entorno.  Aprendermos com outra realidade e outros modos de gerar conhecimento, disse o professor Sergio. O primeiro contato da EBAPE com o Galpão Aplauso foi feito pelo professor Alexandre Faria, que levou os alunos do International Masters Program in Practicing Management (IMPM) para visitá-lo em 2011 e 2012. Alexandre também acompanhou a visita dos graduandos. A turma, composta por 45 alunos, aprovou a iniciativa da Escola, e na próxima aula apresentará diretamente à gestora do projeto, Ivonette Albuquerque, projetos de marketing para a ONG: ?Conhecer o galpão foi uma experiência muito enriquecedora porque proporcionou uma visão mais detalhada da realidade de pessoas que vivem em comunidades carentes, algo bem diferente da minha realidade. Fiquei impressionada com o método adotado aqui, pois estimula o desenvolvimento de valores e os inserem no mercado de trabalho?, disse Carolina Mota, 21 anos.   O projeto identificou que os jovens dessas comunidades têm carência cognitiva e não afetiva. ?A partir desse diagnóstico, eles puderam implementar cursos profissionalizantes voltados para o suprimento dessas carências. Esse é o grande diferencial do trabalho deles?, explicou Carolina.   Caio Garcez, 20 anos, falou que uma das diretrizes do projeto é não estar localizado em nenhuma comunidade carente específica. ?O objetivo é receber pessoas de todas as regiões e ficar em sintonia com o Rio de Janeiro, já que o projeto está localizado na zona portuária, no coração da cidade?, disse. Ele destacou também a iniciativa da FGV de mostrar de perto como é realizado o trabalho no terceiro setor. ?É muito bom sair da FGV, ver o outro lado da moeda, pessoas sem oportunidades sendo integradas ao mercado de trabalho e, principalmente, verificar que existe oportunidade no terceiro setor. Para nós, alunos, é importante saber que podemos desenvolver trabalhos interessantes em ONGs com projetos sérios. O principal mérito da EBAPE é trazer essa realidade para a gente?.