46% da população brasileira já utilizou os serviços do Judiciário

Institucional
14 Março 2011

De acordo com o Índice de Confiança da Justiça - ICJBrasil, produzido pela Escola de Direito de São Paulo da Fundação Getulio Vargas (DIREITO GV), 46% dos entrevistados, no último trimestre de 2010,  já entrou com algum processo ou ação na Justiça (pessoalmente ou alguém residente em seu domicílio).  ?Em termos absolutos, é alta a taxa de pessoas que utilizam o Judiciário. No entanto, se considerarmos a relação com percentual de pessoas que declaram que iriam ao Judiciário para resolver conflitos, ainda é um número reduzido?, analisa a coordenadora do ICJBrasil, Luciana Gross Cunha. Os entrevistados do Distrito Federal e do Rio Grande do Sul são os que em maior quantidade declaram já ter utilizado o Judiciário, enquanto os entrevistados dos Estados de Pernambuco, Bahia e Minas Gerais são os que em menor número declaram ter utilizado o Judiciário.  O ICJBrasil para o quarto trimestre de 2010 é de 4,2 pontos. O subíndice de comportamento é de 6,2 pontos e o subíndice de percepção é de 3,4 pontos. No que diz respeito às regiões, o Rio Grande do Sul apresentou o maior índice de confiança (4,4), seguido por Minas Gerais e Rio de Janeiro, que apresentaram o mesmo índice de confiança (4,3). O Estado de Pernambuco apresentou o menor índice de confiança, chegando a 4,1 pontos.  O levantamento ouviu 1.570 pessoas em 7 estados brasileiros entre outubro e dezembro de 2010. Para 90% dos respondentes, a Justiça resolve os casos de forma lenta ou muito lenta. Quando questionados sobre a competência na solução de conflitos, 53% dos entrevistados afirmou que o Judiciário não tem competência ou é pouco competente para resolver conflitos.Outro ponto considerado pela pesquisa foi o custo de acesso ao Judiciário: 78% dos entrevistados considerou o custo para entrar com uma causa no Judiciário muito alto ou um pouco alto.  Quanto à honestidade, 64% dos entrevistados acredita que a Justiça é pouco  ou nada honesta e 59% acredita que o Judiciário recebe influência da política ou dos outros poderes do Estado. Instituições O ICJBrasil também compara a confiança do Judiciário diante de outras instituições e verificou que, desde o segundo trimestre de 2010, quando esta variável passou a ser calculada, o percentual de confiança na Justiça continuou inalterado: 33%.  As Forças Armadas continuam sendo a instituição que a população mais confia, com 60% dos entrevistados considerando essa uma instituição confiável. A Igreja Católica continua ostentando o segundo lugar no ranking das instituições mais confiáveis, com 56% dos entrevistados, seguida pelas grandes empresas, com 52%. A Polícia, os Partidos Políticos e o Congresso Nacional apresentaram os respectivos resultados: 40%, 37% e 36% dos entrevistados disse que são instituições confiáveis. No quarto trimestre de 2010, 25% dos entrevistados disse que o Governo Federal é confiável, contra 41% dos entrevistados no terceiro trimestre de 2010.  Para mais informações, acesse o link:  http://www.direitogv.com.br/subportais/RelICJBrasil4TRI2010.pdf