Alunos da FGV EESP vencem competição de cases sobre acesso à internet no Brasil

Bruno Sales, Gustavo Oba e Felipe Nunes foram premiados com um fast-track direto para a etapa de entrevistas no processo seletivo da Advisia OC&C e participaram também de um jantar com sócios para um bate papo sobre carreira em consultoria estratégica
Economia
25 Setembro 2019
Alunos da FGV EESP vencem competição de cases sobre acesso à internet no Brasil

Os alunos de Graduação em Economia da Escola de Economia de São Paulo (FGV EESP), Bruno Sales, Gustavo Oba e Felipe Nunes, conquistaram o primeiro lugar na competição de cases sobre o acesso à internet no Brasil, promovido pela Advisia OC&C. Eles foram premiados com um fast-track direto para a etapa de entrevistas no processo seletivo da empresa e participaram também de um jantar com sócios para um bate papo sobre a carreira em consultoria estratégica. Os estudantes selecionados ainda vão disputar entre si por uma vaga no International Strategy Workshop (ISW), evento de competição de cases global da OC&C em Londres.

Durante a competição, os alunos deveriam elaborar um projeto para que uma empresa chinesa ganhasse um edital do governo sobre oferta de internet banda larga e, ao mesmo tempo, lucrasse com este empreendimento.

“Os quase três anos de PBL (Problem Based Learning) nos fizeram ficar relaxados: sabíamos como estruturar um problema complexo, eleger fontes para pesquisa, dividir tarefas e compilar as informações de forma sucinta e coesa. De fato, ainda que tenhamos sido muito elogiados pela nossa resolução, o que foi destacado pelos sócios da consultoria foi exatamente a nossa sinergia e trabalho em equipe, algo que atribuímos diretamente aos muitos tutoriais que tivemos juntos na FGV EESP”, destaca Bruno Sales.

De acordo com Bruno, foram mais de seis horas de esforço intenso e contínuo para que o grupo chegasse ao projeto escolhido como vencedor. Ele relata que participar da competição foi uma experiência enriquecedora e que comprovou a eficácia do PBL para o desenvolvimento de capacidades cognitivas e não cognitivas.

“Depois de mais de seis horas de esforço intenso e contínuo, recebemos a vitória. Uma felicidade inacreditável que só ascendeu nas semanas subsequentes: no dia 21 de agosto, jantamos com dois membros sêniores da consultoria e recebemos valiosos conselhos de carreiras; no dia 28, fizemos uma entrevista individual em que todos os três membros foram aprovados para começar como estagiários”, completa.