Análise de redes sobre imigrantes venezuelanos soma 58,9 mil menções

A pesquisa identificou, entre 22 de janeiro e 19 de fevereiro, 58,9 mil postagens sobre a migração venezuelana ao Brasil, sendo 2 mil originadas de blogs com material noticioso/informativo (3,4%), 5,8 mil de sites de notícias (10%) e 51 mil publicações do Twitter (86,6%).
Políticas Públicas
28 Fevereiro 2018
Análise de redes sobre imigrantes venezuelanos soma 58,9 mil menções

Levantamento da Diretoria de Análises de Políticas Públicas da FGV (FGV DAPP) aponta que a chegada de imigrantes venezuelanos à Região Norte do Brasil, principalmente a Roraima, fez com que a agenda migratória, normalmente de pouco impacto no debate público brasileiro, ganhasse notável abrangência desde o fim de janeiro. Muito da ampliação desse debate foi reorganizado pelo contorno político do desfile das escolas de samba do Rio de Janeiro e pela visita do presidente da República à Roraima.

A pesquisa identificou, entre 22 de janeiro e 19 de fevereiro, 58,9 mil postagens sobre a migração venezuelana ao Brasil, sendo 2 mil originadas de blogs com material noticioso/informativo (3,4%), 5,8 mil de sites de notícias (10%) e 51 mil publicações do Twitter (86,6%). Predominam menções opostas à ampla recepção de venezuelanos, mas de forma fragmentada, em função dos diferentes atores de influência que atuaram no debate. As críticas são mais fortes em relação ao governo da Venezuela e à situação emergencial da população do que em relação à questão migratória em si.

O pico de menções ao assunto foi em 13 de fevereiro, terça-feira de Carnaval, logo após o desfile das escolas de Samba do Rio, diante do caráter de protesto que as apresentações ganharam neste ano. Simultaneamente, diferentes veículos da imprensa deram ênfase aos múltiplos problemas em Roraima.

A miséria vivida pelos venezuelanos que chegam a Roraima também movimentou as redes. 17% dos debatedores (10,1 mil publicações) abordam a pobreza e a falta de alimentação disponível para os refugiados tanto na Venezuela quanto em Roraima. Um grupo menor de perfis reage contra manifestações de preconceito e xenofobia contra os venezuelanos: 2,4 mil publicações destacam esse subtema.

Nosso website coleta informações do seu dispositivo e da sua navegação por meio de cookies para permitir funcionalidades como: melhorar o funcionamento técnico das páginas, mensurar a audiência do website e oferecer produtos e serviços relevantes por meio de anúncios personalizados. Para saber mais sobre as informações e cookies que coletamos, acesse a nossa Política de Cookies e a nossa Política de Privacidade.