Biblioteca do Complexo da Maré recebe livros doados pelo Ibre

Institucional
18 Agosto 2011

O técnico em análises econômicas Itaiguara Bezerra representou os colaboradores do Ibre no ato de doação de mais de 200 livros à Biblioteca Popular Lima Barreto, na favela Nova Holanda ? uma das 16 que compõem o Complexo da Maré ? na última segunda-feira, dia 14 de agosto. As obras, como se sabe, foram doadas pelos colaboradores do Ibre, e serão de grande valia para crianças e adultos daquela comunidade ainda não pacificada ? localizada entre a Linha Vermelha e a Avenida Brasil.Contrastando com a ausência de serviços públicos na comunidade ? como calçamento, segurança e limpeza ? a biblioteca é mantida com muito zelo por funcionários da Rede de Desenvolvimento da Maré (Redes) e também por aqueles que a frequentam. É uma área onde a imaginação infantil tem a permissão de fluir para campos lúdicos, ao contrário da dura realidade que as crianças do Complexo enfrentam. Na biblioteca infantil, as crianças ouvem ?contação? de histórias e fazem suas lições de casa. Além disso, os jovens e adultos têm ali oportunidade de usufruir de serviços como aulas para o pré-vestibular, com salas de aula muito bem equipadas. O espaço Redes conta ainda com um jornal, o Maré de Notícias, que tem redação própria. De distribuição gratuita, já está em seu segundo ano, e tem tiragem de 35.000 exemplares. Na equipe de jornalistas, há editores, repórteres, redatores, estagiários, fotógrafos, ilustradores e diagramadores. Todas as funções que são executadas por um grande jornal. Diversas associações dão apoio ao jornal, que conta ainda com parceiros como a Petrobras e o Canal Futura. Editorias de todos os tipos ? esporte, cidade, política, serviço, lazer etc. ? as edições também têm especialistas para falar de assuntos variados, como professores, psicólogos e moradores antigos (uma espécie de ?conhecedores profundos? da comunidade). Além da prática jornalística, a Redes ainda dá aulas de dança, curso de teatro, aula de cerâmica e, se preciso, reforço de matérias para seus alunos. Impressionado com a limpeza, o cuidado e a organização do local, o assessor de Imprensa do Ibre, ClaudioCarneiro, observou como o espaço influencia a vida das pessoas da comunidade: ?É ali (na Biblioteca) onde os moradores acreditam que podem mudar de vida. As salas são bem equipadas, com ventilador, TVs com tela de LCD, o ambiente tem muitas plantas?, disse. O colega Itaiguara completa: ?A Redes me surpreendeu positivamente pelo fato de a comunidade ter abraçado a causa da educação, entre jovens e adultos, como primordial para o desenvolvimento da cidadania. Sandra, que nos recebeu e mostrou as instalações, disse que, em média, cem crianças vão à biblioteca ? ou para estudar ou para ler livros. E por falar em bibliotecas, já que são duas ? uma para jovens e outra para adultos ? o número de livros ultrapassou a marca de 10.000.? Se agora a comunidade da favela Nova Holanda tem acesso a um grande acervo de livros, se avivam dentro dela a cultura e o entretenimento. Capacitação para o futuro ?  unida à diversão ? faz com que todos ali acreditem numa vida melhor, como pode ser visto em uma frase bem acima do quadro-negro ? como se fosse obrigatória sua leitura: ?O que faz andar a estrada? É o sonho. Enquanto a gente sonhar, a estrada permanecerá viva.?