Brasileiros pretendem gastar mais com presentes no Dia das Mães
Economia
11 Maio 2018

Brasileiros pretendem gastar mais com presentes no Dia das Mães

“O bom resultado é influenciado pela melhora das expectativas quanto a situação financeira das famílias, cujo indicador é o maior desde outubro 2014”, explica a economista Viviane Seda, coordenadora da Sondagem do Consumidor do FGV IBRE.

Os brasileiros estão mais dispostos a comprar os presentes das mamães este ano. O indicador que mede a intenção de gastar na ocasião subiu 9,9 pontos (de 59,4 para 69,3) em 2018, em comparação com o ano passado: o melhor desempenho desde 2014. Este ano, menos pessoas declararam que irão reduzir os gastos, passando de 44,6% para 37,1%. Já o percentual de indivíduos que indicaram que gastariam o mesmo valor aumentou de 51,3% para 56,5%. O levantamento foi feito pelo Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (FGV IBRE), a partir de questionário da Sondagem do Consumidor, quando foram entrevistadas 1.612 pessoas.

"O bom resultado é influenciado pela melhora das expectativas quanto à situação financeira das famílias, cujo indicador é o maior desde outubro 2014. O consumidor que se diz mais otimista em relação à situação financeira nos próximos seis meses tem 5,3% mais chance de comprar o presente do Dia das Mães do que os demais", explica a economista Viviane Seda, coordenadora da Sondagem do Consumidor do FGV IBRE.

O valor médio dos gastos em 2018 ficou em R$ 108 – um incremento real de 11%, em comparação com o ano passado, quando a média foi de R$ 98. A melhora foi percebida em todas as faixas de renda.

Para a economista, outro ponto importante é que as famílias estão com as contas mais organizadas. "O endividamento das famílias diminuiu para todas as classes de renda, na comparação com o período de abril 2016 a abril 2017, ou seja, as famílias estão menos endividadas agora do que no ano passado", avaliou Viviane.

Itens de vestuário são os preferidos

Blusas, camisas e vestidos continuam liderando a preferência dos consumidores para essa ocasião, mesmo com a redução das citações de 55,0% (2017) para 50,4% (2018).

Serviços e produtos com variação abaixo da inflação

O Dia das Mães também pode ser mais especial este ano se depender dos preços de serviços e presentes. Segundo cálculos do FGV IBRE, a variação média dos 27 itens mais consumidos na data festiva foi de 2,55%, de maio de 2017 a abril deste ano, menor que a inflação acumulada no mesmo período pelo IPC/FGV (2,98%). O índice também é mais baixo que a variação média de produtos e serviços do ano passado, que ficou em 4,76%, entre maio de 2016 a abril de 2017.

Presentes mais baratos

Os itens preferidos como presentes apresentaram decréscimo nos preços em nove dos 13 itens pesquisados e podem dar um alívio no bolso dos filhos. As quedas mais expressivas foram registradas para celular (-7,91%), aparelho de TV (-6,72%) e formo elétrico e de micro-ondas (-5,27%). Os preços dos calçados femininos variaram em 0,67%, abaixo da inflação, assim como os de cintos e bolsas, que subiram 2,12%. Já as bijuterias em geral variaram 2,67%.