Cenário político-econômico é tema do III Seminário de Análise Conjuntural de 2018
Economia
12 Setembro 2018

Cenário político-econômico é tema do III Seminário de Análise Conjuntural de 2018

“O país, sem reformas, fica mais vulnerável a um ambiente externo mais hostil, que é o que estamos observando. Além disso, as incertezas eleitorais ainda dominam o cenário”, avalia Silvia Matos, coordenadora do Boletim Macro IBRE e uma das participantes do seminário.

Com a proximidade das eleições, o III Seminário de Análise Conjuntural de 2018 do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (FGV IBRE) traz para a pauta o debate sobre o cenário político-econômico. O encontro será dia 17 de setembro, das 16h às 18h, no Centro Cultural FGV (Praia de Botafogo, 186. Botafogo, Rio de Janeiro/RJ). Já o pleito, que acontece em outubro, se dará em meio às incertezas internas e a um ambiente internacional mais desafiador.

O cenário para a economia brasileira segue bastante nebuloso, mesmo com a melhora de alguns indicadores, que recuperaram as perdas ocorridas com a greve dos caminhoneiros em maio. A turbulência externa, com a ampliação de ameaças de aumento do protecionismo por parte dos Estados Unidos e a crise na Turquia, com a forte desvalorização da lira, afeta a estabilidade econômica mundial, especialmente de países emergentes. Os sinais apontam que espaço para que o Brasil faça as reformas necessárias, a fim de reequilibrar as contas públicas e estabilizar a dívida pública, está ficando cada vez mais curto, transferindo para o próximo presidente o enorme desafio.

“O país, sem reformas, fica mais vulnerável a um ambiente externo mais hostil, que é o que estamos observando. Além disso, as incertezas eleitorais ainda dominam o cenário”, avalia Silvia Matos, coordenadora do Boletim Macro IBRE e uma das participantes do seminário.

Durante o encontro, voltado para estudantes, economistas, profissionais da área e pessoas interessadas no tema, os pesquisadores do FGV IBRE vão apresentar um panorama sobre o que o próximo presidente irá encontrar, além de projeções dos principais indicadores macroeconômicos.

Participam também os economistas e pesquisadores do FGV IBRE José Júlio Senna e Samuel Pessôa, o cientista político Octavio Amorim Neto (Escola Brasileira de Administração Pública e de Empresas – FGV EBAPE) e o diretor e economista-chefe da SPX Gestão de Recursos, Beny Parnes.

Para mais informações sobre a programação e inscrições, acesse o site.