Centro de Políticas Sociais lança a pesquisa Trabalho, Educação e Juventude na Construção Civil

Institucional
07 Abril 2011

O Centro de Políticas Sociais lança a pesquisa Trabalho, Educação e Juventude na Construção Civil, apresentada por Marcelo Neri. A pesquisa traça um panorama dos desafios da construção civil, relacionando-os ao perfil dos trabalhadores do setor e apontando caminhos para os jovens quanto às oportunidades de inserção qualificada no mercado. A volta da prosperidade no setor da construção civil depois de décadas de estagnação é fruto da emergência da nova classe média brasileira na presença de um alto déficit habitacional. Eventos internacionais como a Copa do Mundo e a Olimpíada, programas governamentais como o Minha Casa, Minha Vida e as obras de infraestrutura do PAC têm aumentado a demanda no setor que enfrenta restrições do lado da oferta. O apagão de mão de obra, questão central para os atuais desafios de desenvolvimento do país, se coloca, nesta pesquisa, sob uma nova ótica: como o setor da construção civil pode se aprimorar, em relação ao uso de tecnologias e melhoria das condições de trabalho, de forma a atrair e reter a mão de obra jovem? Qual é a extensão do apagão de mão de obra na construção, lido pela evolução de salários, da jornada e da ocupação? Mais fundamentalmente, a falta de mão de obra se deve à baixa escolarização do brasileiro? Ou o jovem tem escolhido ocupações menos braçais e mais qualificadas que as da construção?  A resposta importa, pois o aumento vegetativo de escolaridade do brasileiro vai implicar em maior, ou menor, oferta de pessoas para a construção. Estas e outras perguntas são respondidas no estudo, que permite a cada um traçar a radiografia do novo trabalhador da construção civil através do site, que possui um conjunto de dispositivos interativos on line para consulta.