Comportamento da economia após fim da recessão é tema de debate sobre perspectivas 2018
Economia
04 Dezembro 2017

Comportamento da economia após fim da recessão é tema de debate sobre perspectivas 2018

O objetivo é analisar como deve se comportar a economia em 2018, um ano com eleições gerais. Será a primeira reunião de conjuntura do IBRE desde que o Comitê de Datação de Ciclos Econômicos (CODACE) anunciou o fim da recessão, iniciada no começo de 2014.

O Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (FGV IBRE) promove dia 11 de dezembro, das 16h às 18h, na sede da FGV, o encontro Perspectivas 2018: Economia e Política. O objetivo é analisar como deve se comportar a economia em 2018, um ano com eleições gerais. Será a primeira reunião de conjuntura do IBRE desde que o Comitê de Datação de Ciclos Econômicos (CODACE) anunciou o fim da recessão, iniciada no começo de 2014.

“A questão principal continuará sendo o quadro fiscal. A recuperação da atividade deve ajudar a elevar as receitas tributárias, como fez nos últimos meses, e receitas não recorrentes com concessões e privatizações, mas as despesas também vão aumentar. Haverá muita discussão sobre o teto de gastos, inclusive no que concerne ao orçamento para 2019. Além do fiscal, deve exigir cuidado a recuperação do investimento, que pode ser muito fraca, pela incerteza política e fiscal, e a gradual normalização da política monetária nos países ricos”, ressaltou Armando Castelar, um dos palestrantes e coordenador da área de Economia Aplicada do FGV IBRE.

Para Castelar, as grandes reformas não devem avançar no ano que vem, mas haverá espaço na pauta para debates também importantes. “Há uma agenda microeconômica com itens como a elaboração de uma nova lei de falências e o cadastro positivo, por exemplo, que poderão ser trabalhados em 2018”, listou.

A coordenadora do Boletim Macro IBRE, Silvia Matos, alerta para alguns possíveis percalços à economia brasileira no próximo ano, que devem ser debatidos no encontro. “Existe um risco concreto de escassez de energia em 2018. O ajuste deverá ser concentrado nas tarifas de energia, reduzindo a renda disponível das famílias e pressionando os custos das empresas. Outro risco é a incerteza que ainda permeia o cenário eleitoral do ano que vem”, avaliou a economista.

Durante o evento, voltado para profissionais da área, estudantes, pesquisadores e pessoas interessadas no tema, os especialistas vão abordar assuntos como recuperação de investimentos, cenário político e seu impacto na economia, incertezas, cenário externo, reformas estruturais e crescimento da atividade econômica nos diferentes setores.

Participam ainda José Julio Senna, chefe do Centro de Estudos Monetários do FGV IBRE, Ricardo Ribeiro, analista político da MCM Consultores, e Samuel Pessôa, pesquisador associado do FGV IBRE. O encontro será realizado no Centro Cultural FGV, na Praia de Botafogo, 186, Botafogo. Para mais informações e inscrições, acesse o site.