Confiança da Construção recua em fevereiro

O Nível de Utilização da Capacidade (NUCI) do setor subiu 0,3 ponto percentual, para 67,0% em fevereiro. O NUCI para Máquinas e Equipamentos ficou estável e NUCI para Mão de Obra variou 0,3 ponto percentual.
Economia
26 Fevereiro 2019
Confiança da Construção recua em fevereiro

O Índice de Confiança da Construção (ICST), do Instituto Brasileiro de Economia (FGV IBRE), caiu 0,4 ponto em fevereiro, para 85,0 pontos. Em médias móveis trimestrais, o ICST manteve-se em alta pelo sexto mês consecutivo.

“A percepção dos empresários da construção em relação à situação corrente dos seus negócios teve a primeira queda depois de registrar melhora por oito meses consecutivos. Esse movimento não deve ser lido como reversão do processo de recuperação. Outros indicadores como o de evolução da atividade corrente e o de emprego previsto tiveram crescimento em fevereiro. Mas a queda na confiança indica que o ritmo de recuperação da atividade da construção deve continuar a passos muito lentos” observou Ana Maria Castelo, Coordenadora de Projetos da Construção doFGV IBRE.

Em fevereiro, a queda do ICST foi influenciada exclusivamente pela piora da situação atual. O Índice de Situação Atual (ISA-CST) caiu 0,7 ponto, para 74,4 pontos.

O resultado negativo do ISA-CST veio principalmente da contribuição do indicador que mede o grau de satisfação com a situação atual dos negócios, que recuou 1,3 ponto para 75,7 pontos, menor nível desde outubro de 2018 (74,7).

O Índice de Expectativas (IE-CST) variou 0,1 ponto e atingiu 96,0 pontos. O indicador que determinou a alta foi o que mede o otimismo com a demanda prevista nos três meses seguintes, que subiu 1,9 ponto, atingindo 95,3 pontos.

O Nível de Utilização da Capacidade (NUCI) do setor subiu 0,3 ponto percentual, para 67,0% em fevereiro. O NUCI para Máquinas e Equipamentos ficou estável e NUCI para Mão de Obra variou 0,3 ponto percentual.

O estudo completo está disponível no site.