DAPP participa de debate no Google Campus sobre dados abertos em saúde no Brasil

Bárbara Barbosa destacou que para ser aberto, o dado deve estar disponível publicamente, não ter custo para o usuário, estar em formatos que permitam uso e edição, e ter uma licença clara. Preencher esses requisitos faz com que os dados possam ser utilizados na geração de informação e de pesquisas, como muitas das realizadas pela DAPP.
Políticas Públicas
05 Junho 2017
DAPP participa de debate no Google Campus sobre dados abertos em saúde no Brasil

A Diretoria de Análise de Políticas Públicas da FGV (DAPP) participou no dia 1º de junho do evento “Dados Abertos Sobre a Saúde no Brasil”. O encontro foi realizado no Google Campus São Paulo numa parceria entre a startup Eokoe e o Ministério da Saúde. A DAPP foi representada pela pesquisadora Bárbara Barbosa, que falou sobre boas práticas no uso e na divulgação de dados abertos.

Atualmente, o Brasil ocupa o oitavo lugar no Índice de Dados Abertos, segundo levantamento conjunto entre a DAPP e a Open Knowledge Foundation (OKFN). A pesquisadora destacou que para ser aberto, o dado deve estar disponível publicamente, não ter custo para o usuário, estar em formatos que permitam uso e edição, e ter uma licença clara. Preencher esses requisitos faz com que os dados possam ser utilizados na geração de informação e de pesquisas, como muitas das realizadas pela DAPP.

Entre as iniciativas da DAPP na área de saúde e dados estão pesquisas sobre o perfil da população afetada pelo câncer de mama e a incidência de dengue nos estados e o investimento público no combate ao mosquito transmissor, entre outros.

“A divulgação de dados abertos permite o cruzamento de informações que vão subsidiar o governo na tomada de decisões e ajudar na formulação de políticas públicas para melhorar a vida do cidadão. A transparência é, portanto, essencial, cria laços de confiança. A sociedade cobra porque tem acesso e entendimento dos dados, e o governo torna-se accountable porque consegue responder a demandas. Isso contribui para um ambiente institucional menos propenso a crises políticas e ao questionamento da atuação dos agentes públicos”, ressalta a pesquisadora.

O evento contou com a presença do ministro da Saúde, Ricardo Barros, do diretor-geral do Google Brasil, Fábio Coelho, do diretor da Open Knowledge, Ariel Kogan, além de pesquisadores, empreendedores e membros do setor público. Ao longo das mesas de debate, foram discutidas melhorias na utilização de dados para o desenvolvimento de soluções inovadoras com foco na saúde, uso de machine learning e inteligência artificial, políticas públicas assertivas e desenvolvimento de novos projetos.