Debate com Eliezer Batista é sucesso de público

Institucional
30 Setembro 2011

Ex-presidente da Vale, ex-ministro de Minas e Energia (governo João Goulart) e de Assuntos Estratégicos (Fernando Collor), Eliezer Batista é um nomes mais expressivos na construção do modelo desenvolvimentista do Brasil. Homenageado pelo Centro de Relações Internacionais da FGV, com a exibição, no dia 26 de setembro, de documentário sobre sua vida ? ?Eliezer Batista, o Engenheiro do Brasil?, do cineasta Victor Lopes. Eliezer debateu suas ideias com um auditório lotado e afirmou que a prioridade para o país neste momento deveria ser investir em educação e inovação, para romper o ciclo de dependência com relação às commodities:?Nenhum país se desenvolve só com matérias-primas e, nesse sentido, estamos menos desenvolvidos hoje do que no passado?. ?O encontro com Eliezer Batista faz parte de um ciclo de debates sobre relações internacionais e desenvolvimento, que, nos últimos dois meses, trouxe à FGV outras personalidades de destaque, como o embaixador e ex-ministro, Rubens Ricupero; o presidente da Embraer Europa, Luiz Fuchs; e o professor Luiz Werneck Vianna?, disse o professor Maurício Santoro, que mediou a discussão: ?Eliezer é uma figura-chave na transformação da Vale de uma pequena empresa de mineração num ator global nesse mercado, e uma referência em comércio exterior, logística e desenvolvimento sustentável.? Após a exibição do filme, Eliezer Batista fez uma palestra na qual ressaltou que o Brasil necessita se espelhar no exemplo da Coreia do Sul e investir em educação voltada para inovação, sobretudo em ciências exatas, buscando a integração entre universidades e empresas: ?Nada contra as humanidades e as ciências sociais ? eu mesmo estudei música ?, mas precisamos de engenheiros.? Ele observou que o crescimento econômico do país nos últimos anos, simultâneo à crise nos países desenvolvidos, tem levado à emigração de profissionais qualificados da Europa para cá, em especial da Espanha e de Portugal, que podem dar contribuições importantes em setores como mineração e indústria naval.