Economistas debatem perspectivas para a economia brasileira no 2º trimestre

O Seminário trará as novas previsões do FGV IBRE sobre a atividade econômica, além de reunir especialistas para debater e propor soluções para que o país possa sair da armadilha do baixo crescimento.
Economia
16 Maio 2019
Economistas debatem perspectivas para a economia brasileira no 2º trimestre

A perspectiva de fechar mais um ano com o PIB sequer chegando próximo aos 2% tem transformado a agenda das reformas no campo fiscal a pedra-de-toque para a retomada do crescimento do país. Os mais recentes indicadores da indústria e do setor de serviços sinalizam que a atividade econômica voltou a estagnação, aumentando os índices de incerteza e elevando a mau humor do mercado já que as previsões de vários analistas após as eleições eram de um crescimento do PIB na faixa dos 3%. Para debater as expectativas econômicas para o segundo trimestre, o Instituto Brasileiro de Economia (FGV IBRE) e O Estado de S.Paulo realizam, no dia 23 de maio, das 9h às 12h, no Auditório FGV 9 de Julho (Rua Itapeva, 432. Bela Vista, São Paulo/SP) o “Seminário FGV IBRE – Estadão Perspectivas 2019”.

Para Silvia Matos, coordenadora do Boletim Macro IBRE da FGV, o investidor ainda está cauteloso pois há algumas dúvidas sobre o tamanho da reforma da Previdência que será aprovada e quando isto ocorrerá. Silvia destaca que as vitórias do governo em pautas importantes em debate serão fundamentais para a recuperação da confiança na solidez da economia brasileira.

“O governo tem tido sofrido derrotas no Congresso. Isso acaba gerando mais incerteza. Nesse contexto, o investimento é o mais prejudicado. É esperado mais uma contração do investimento no primeiro trimestre em relação ao último trimestre do ano passado. Além disso, temos visto uma desaceleração no ritmo de crescimento do consumo das famílias, o mercado de trabalho está sofrendo e com isso cria-se um círculo vicioso ruim de menor renda, menor investimento, menos emprego e mais incerteza”.

O Seminário trará as novas previsões do FGV IBRE sobre a atividade econômica, além de reunir especialistas para debater e propor soluções para que o país possa sair da armadilha do baixo crescimento.

O evento contará com a presença de José Júlio Senna, chefe do Centro de Estudos Monetários do FGV IBRE; Silvia Matos, coordenadora do Boletim Macro IBRE; Samuel Pessoa, pesquisador-associados do FGV IBRE, e Carlos Melo, cientista político do Insper. A moderação será do colunista do Estadão, Celso Ming.

Para mais informações e inscrições, acesse o site.