Emergentes devem barganhar verba extra por mais poder no Fundo - análise de Carlo Patti

Institucional
19 Janeiro 2012

Ontem, a diretora-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI), Christine Lagarde, propôs o aumento de recursos do Fundo para socorrer as economias europeias em crise. Países emergentes como o Brasil e a China seriam os maiores financiadores da ação, mas esbarram na reação contrária de Washington. O historiador Carlo Patti,  pesquisador da Universidade de Florença e pesquisador visitante da FGV, analisa a questão em especial para a Folha de São Paulo. 

Nosso website coleta informações do seu dispositivo e da sua navegação por meio de cookies para permitir funcionalidades como: melhorar o funcionamento técnico das páginas, mensurar a audiência do website e oferecer produtos e serviços relevantes por meio de anúncios personalizados. Para saber mais sobre as informações e cookies que coletamos, acesse a nossa Política de Cookies e a nossa Política de Privacidade.