Estudantes de Direito participam de simulação do Conselho da União Europeia

A FGV Direito Rio representou o Chipre nos debates sobre economia, política e meio ambiente para estabelecer um mandato de negociação para um futuro Acordo de Livre Comércio entre o bloco europeu e um país fictício
Direito
11 Novembro 2019
Estudantes de Direito participam de simulação do Conselho da União Europeia

A Escola de Direito do Rio de Janeiro (FGV Direito Rio) participou, pela primeira vez, da Simulação do Conselho da União Europeia no Brasil. Alunos da graduação, Mariana Novotny Muniz (4º período) e Rodrigo Bellotti Azevedo (2º período), sob a orientação da professora Paula Wojcikiewicz Almeida, foram uma das 28 duplas participantes. O objetivo da Simulação foi provocar reflexões dentre a comunidade acadêmica sobre tema de interesse para o sistema: negociações de acordos de livre comércio no cenário contemporâneo. O evento, organizado em parceria com a Delegação da União Europeia no Brasil, ocorreu nos dias 10 e 11 de outubro no Centro Universitário de Brasília (CEUB).

Na simulação, equipes de diferentes instituições de ensino representaram os interesses de um dos Estados-Parte da UE no âmbito do Conselho da União Europeia. A equipe da FGV Direito Rio representou o Chipre nos debates sobre economia, política e meio ambiente para estabelecer um mandato de negociação para um futuro Acordo de Livre Comércio (ALC) entre o bloco europeu e um país fictício, denominado pelos organizadores de "Tradeland". Após dois dias de discussões e deliberações, os delegados conseguiram chegar a um consenso para o mandato, que foi aprovado no final da segunda sessão.

O evento contou com a presença do Embaixador da União Europeia no Brasil, Ignácio Ybañez, que participou da cerimônia de encerramento e contribuiu expondo a sua visão sobre o atual cenário político da Europa.

“Esse evento representa uma parceria de longa data entre a FGV Direito Rio e projetos acadêmicos apoiados pela União Europeia, que hoje se materializa com o Centro de Excelência Jean Monnet”, destaca a professora Paula Wojcikiewicz Almeida.