Estudo inédito analisa imposto seletivo e assimetrias na taxação da indústria

O estudo se debruça sobre a estrutura dos impostos e aponta grandes distorções no modelo atual, com graves consequências, desde concorrência desleal até perdas expressivas de arrecadação da União
Políticas Públicas
09 Dezembro 2019
Estudo inédito analisa imposto seletivo e assimetrias na taxação da indústria

O Grupo de Economia da Infraestrutura & Soluções Ambientais da FGV realiza nesta segunda, 9 de dezembro, a partir das 10h, o debate “Imposto seletivo e assimetrias na taxação da indústria”. O evento terá a apresentação de um relatório inédito com contribuições para a proposta de Reforma Tributária na indústria e será realizado na FGV EAESP (Rua Itapeva, 432. 6º andar. Bela Vista, São Paulo).

O estudo se debruça sobre a estrutura dos impostos e aponta grandes distorções no modelo atual, com graves consequências, desde concorrência desleal até perdas expressivas de arrecadação da União. Todas as propostas do Executivo e do Legislativo, sem exceção, preveem a criação do imposto sobre consumo e a taxação extra dos produtos de chamada externalidade negativa (combustíveis, cigarros, bebidas alcoólicas, armas, entre outros).

O relatório traz informações úteis à modelagem do novo IPI. Sem aumentar a carga geral de tributos, como é o compromisso do ministro Paulo Guedes, o estudo aponta que é possível elevar a arrecadação apenas corrigindo assimetrias.

Para mais informações, acesse o site.