Evento debate produtividade e reformas

Durante o encontro, pesquisadores da FGV e convidados irão abordar os motivos da baixa produtividade brasileira e discutir formas de desatar os nós que impedem o país a melhorar nesse quesito
Economia
03 Dezembro 2019
Evento debate produtividade e reformas

Os indicadores macroeconômicos do segundo semestre ajudaram a melhorar as perspectivas para a atividade econômica do país em 2019. Mas a economia ainda cresce de forma lenta, e a baixa produtividade no Brasil tem papel relevante nesse contexto. Para debater o tema, o Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (FGV IBRE) e o jornal O Estado de S. Paulo promovem no dia 4 de dezembro, das 9h30 às 12h30, o “I Seminário Produtividade e Reformas”. O evento será realizado no auditório FGV 9 de Julho (Rua Itapeva, 432. Bela Vista, São Paulo).

Durante o encontro, pesquisadores da FGV e convidados irão abordar os motivos da baixa produtividade brasileira e discutir formas de desatar os nós que impedem o país a melhorar nesse quesito. Silvia Matos, coordenadora do Boletim Macro do FGV IBRE, acredita que inserir a produtividade na pauta é condição fundamental para estabelecer parâmetros que ajudarão o país a crescer de forma sustentável.

“Com o fim do bônus demográfico, todo o crescimento de produtividade tem que vir da renda per capita. Então a produtividade é o tema mais importante para pensarmos em crescimento de longo prazo no Brasil. No contexto econômico atual, mais ainda”.

A economista destacou que o Brasil passou pela recessão mais severa de sua história e que a retomada tem se dado de forma atípica. O mercado de trabalho também não se recuperou ainda consistentemente, tendo gerado mais vagas no setor informal.

“Outro fator relevante é que quando comparamos a produtividade do setor formal com a do setor informal verificamos uma discrepância muito grande. Em média, o setor formal é quatro vezes mais produtivo que o informal, sendo que este tem menos capital, acesso a crédito, inovação e, em sua maioria, tem empregadores e trabalhadores com escolaridade mais baixa”, analisou Silvia. Ela apontou ainda que as reformas, como a tributária, a MP da Liberdade Econômica e a abertura comercial podem de fato destravar esse ambiente hostil para as empresas se tornarem mais produtivas.

O encontro contará com a participação de Silvia Matos e Fernando Veloso (FGV IBRE); Pedro Cavalcanti Ferreira (FGV EPGE e FGV Crescimento & Desenvolvimento) e Bernard Appy (CCiF). Terá como moderadora a jornalista e colunista do Estadão, Adriana Fernandes.

Para mais informações e inscrições, acesse o site.