FGV debate integração regional nas celebrações dos 30 anos das atividades Jean Monnet

Especialistas lançaram um olhar para o futuro do regionalismo a fim de identificar alguns dos principais desafios adiante, dentre os quais encontram-se os movimentos populistas e os termos do acordo entre União Europeia e Mercosul
Direito
29 Agosto 2019
FGV debate integração regional nas celebrações dos 30 anos das atividades Jean Monnet

A integração regional, assim como o inter-regionalismo, obedece diferentes formatos e caminhos que dependem das diferentes regiões. A conferência “Regionalism in Hard Times: 30th Anniversary of Jean Monnet Activities”, que aconteceu no dia 19 de agosto, na Sede FGV, no Rio de Janeiro, analisou o passado e o presente deste processo na Europa e na América do Sul. Os especialistas reunidos também olharam para o futuro a fim de identificar alguns dos principais desafios adiante, dentre os quais encontram-se os movimentos populistas e os termos do acordo entre União Europeia e Mercosul.

O evento celebrou o 30º aniversário das atividades Jean Monnet, do programa Erasmus+ da Comissão Europeia, reunindo atuais e ex-beneficiários do programa e estudiosos do projeto europeu em geral.

A conferência registrou também a parceria de longa data entre a Fundação Getúlio Vargas e a Comissão Europeia, que seguirá nos próximos anos com o Centro de Excelência Jean Monnet em EU-South America Global Governance na FGV Direito Rio e o Jean Monnet Atlantic Network 2.0 no FGV NPII.

A abertura do evento foi realizada por representantes das entidades organizadoras: professor Renato Galvão Flôres Junior, diretor do Núcleo de Prospecção e Inteligência Internacional (FGV NPII), Paula Wojcikiewicz Almeida, professora da Escola de Direito do Rio de Janeiro (FGV Direito Rio) e coordenadora da Cátedra Jean Monnet, e Costanzo Fisogni, membro da Delegação da União Europeia no Brasil.

Em seguida, houve a apresentação do keynote speaker, professor Mario Telò (Jean Monnet Chair ad personam, Université Libre de Bruxelles- IEE, Bruxelas; LUISS-Roma), intitulada “The European Union in a comparative perspective. Regionalism and interregionalism in hard times: “pessimism of intelligence and optimism of will”, e posteriormente levada a debate. A mesa de discussão, moderada pela professora Paula Almeida, contou com diversos especialistas na área: Paulina Astroza Suárez, coordenadora da Cátedra Jean Monnet da Universidad de Concepción no Chile; Andrea Hoffmann, do Instituto de Relações Internacionais da PUC-RJ e membro do Jean Monnet Network da instituição; Carolina Moehlecke, da Escola de Relações Internacionais da FGV (FGV RI) e Renato Flôres (FGV NPII).