FGV Direito Rio lança cartilhas com orientações para trabalhadores das plataformas digitais

As publicações são fruto da pesquisa “Uberização e o trabalho em plataformas digitais de entrega” e estão disponíveis na internet
Direito
16 Julho 2021
FGV Direito Rio lança cartilhas com orientações para trabalhadores das plataformas digitais

A Escola de Direito do Rio de Janeiro da Fundação Getulio Vargas (FGV Direito Rio) lança duas cartilhas direcionadas aos trabalhadores de plataformas digitais, como Uber eats e iFood. Os materiais são fruto do Field ProjectUberização e o trabalho em plataformas digitais de entrega”, desenvolvidos por alunos de graduação da FGV Direito Rio. O objetivo do estudo é compreender o perfil do trabalhador de plataformas digitais de entrega e as condições em que têm se dado seu trabalho.

O projeto realizou pesquisa sobre as condições de trabalho em plataformas digitais de entrega, por meio de um questionário no Google Forms. Como resultado, observou-se que 79,6% dos trabalhadores afirmaram não conhecer nenhuma organização que ofereça ajuda aos entregadores. Com base nessa demanda, os estudantes prepararam o material “Organizações que oferecem ajuda para os entregadores de aplicativos”.

Esse questionário também buscou entender as reinvindicações de melhorias desses trabalhadores, constando demandas da categoria como o aumento no valor recebido nas entregas; fim do bloqueio injustificado pelo aplicativo; e carência de um seguro contra acidentes. Essas e outras reinvindicações estão reunidas na “Cartilha direcionada às organizações de entregadores de aplicativo com propostas de auxílio para esses trabalhadores”.

De autoria e supervisão da professora convidada da FGV Direito Rio, Ana Beatriz Bueno de Jesus, o Field “Uberização e o trabalho em plataformas digitais de entrega” foi desenvolvido pelos alunos Bruna Macedo Alves Costa, Guilherme Soares Azevedo, Júlia Milczanowski Araujo, Juliana Silva Magno Baptista, Marcelle Dumas de Andrade e Vitória dos Santos Sperotto.

“A ideia da pesquisa era não só divulgar as condições precárias de trabalho a que esses trabalhadores estão submetidos, mas também buscar ajudá-los, com o levantamento das organizações existentes”, explicou Ana Beatriz Bueno de Jesus, supervisora da pesquisa.

Ambas as cartilhas estão disponíveis gratuitamente e podem ser acessadas nos links abaixo:

- Organizações que oferecem ajuda para os entregadores de aplicativos

- Cartilha direcionada às organizações de entregadores de aplicativo com propostas de auxílio para esses trabalhadores

Nosso website coleta informações do seu dispositivo e da sua navegação por meio de cookies para permitir funcionalidades como: melhorar o funcionamento técnico das páginas, mensurar a audiência do website e oferecer produtos e serviços relevantes por meio de anúncios personalizados. Para saber mais sobre as informações e cookies que coletamos, acesse a nossa Política de Cookies e a nossa Política de Privacidade.