FGV e BID realizam I Encontro Regional do Projeto Big Data para o Desenvolvimento Urbano Sustentável

O projeto é resultado de um Acordo de Cooperação Técnica entre a FGV e o BID, e tem como objetivo o desenvolvimento de um modelo piloto, replicável e escalável de governança de Big Data para as cidades participantes: Miraflores, Montevideo, Quito, São Paulo e Xalapa
Políticas Públicas
10 Junho 2019
FGV e BID realizam I Encontro Regional do Projeto Big Data para o Desenvolvimento Urbano Sustentável

A Fundação Getulio Vargas (FGV) e o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) realizaram, nos dias 2 e 3 de maio, o “I Encontro Regional do Projeto Big Data para o Desenvolvimento Urbano Sustentável”. O encontro teve como objetivo apresentar projetos em execução em cidades da América Latina nesta área, seus benefícios e desafios e o projeto de pesquisa que está sendo desenvolvido pela FGV com apoio do BID – Big Data para o Desenvolvimento Urbano Sustentável. O escopo deste projeto tem foco em aspectos jurídicos e regulatórios, de infraestrutura tecnológica e de ciência de dados, todos relacionados a utilização de grandes bases de dados para implantação de melhorias nas políticas públicas.

O projeto é resultado de um Acordo de Cooperação Técnica entre a FGV e o BID, e tem como objetivo o desenvolvimento de um modelo piloto, replicável e escalável de governança de Big Data para as cidades participantes desse projeto: Miraflores, Montevideo, Quito, São Paulo e Xalapa. Nesse sentido, foram discutidas estratégias para compartilhamento de experiências entre as cidades, assim como foi iniciado o processo de desenvolvimento de uma agenda de trabalho comum para o projeto. Participam do desenvolvimento deste projeto pela FGV o Centro de Tecnologia e Desenvolvimento (CTD), a Escola de Direito do Rio de Janeiro (FGV Direito Rio) e a Escola de Matemática Aplicada (EMAp).

Durante a abertura do evento, a professora Goret Pereira Paulo, Diretora da Rede de Pesquisa da FGV destacou que “a nossa ideia é reunir aqui pessoas responsáveis pela elaboração e execução de políticas públicas nas suas cidades e pesquisadores, porque nós achamos que essa união é muito produtiva e pode trazer benefícios para a sociedade”.

O evento contou com uma série de apresentações e estudo de casos de projetos e iniciativas de Big Data. No primeiro painel, foram abordadas “Políticas Públicas Baseadas em Evidência”. A pesquisadora Lycia Lima do Centro de Estudos de Política e Economia do Setor Público (FGV CEPESP) e do Centro de Aprendizagem em Avaliação e Resultados para o Brasil a Africa Lusófona (FGV CLEAR) apresentou “Dados para Medir os Efeitos de Políticas Públicas: A Importância da Avaliação de Impacto”. Por sua vez, o professor Ivar A. Hartmann da FGV Direito Rio fez uma análise dos desafios jurídicos do Projeto e o professor Jorge Poco da FGV EMAp falou sobre a “Exploração Visual de Grandes Bases de Dados Urbanas: Um Estudo dos Táxis em Nova York”. O moderador deste painel foi Pablo Cerdeira, Coordenador do CTD da FGV.

O segundo painel apresentou estudos de casos. A mesa foi composta pela professora Jhessica Reia da FGV Direito Rio que apresentou o “Case Smart City”, pelo professor Flávio Codeço Coelho da FGV EMAp que falou sobre o projeto “Infodengue: Análise em Tempo Real do Risco de Doenças Infecciosas”, pelo professor Moacyr Alvim Horta Barbosa da Silva da FGV EMAp que apresentou os “Padrões de Mobilidade Urbana na Região Metropolitana do RJ” e pelo o professor Fabio Kon do Instituto de Matemática e Estatística da Universidade de São Paulo (IME/USP) que mostrou o case “Computer Science and Software Development for Smart Sustainable Cities”.

O terceiro painel sobre Desafios para o Financiamento de Projetos de Big Data para o Desenvolvimento Urbano Sustentável foi moderado pela professora Goret Paulo e contou com a participação do professor Carlos Américo Pacheco - Diretor-presidente da FAPESP e do Sr. Mauricio Bouskela do BID. Após o terceiro painel, o professor Antonio Miguel Vieira Monteiro, PhD, do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) palestrou sobre o Uso do Sensoriamento Remoto para Questões Urbanas.

O quarto painel falou sobre “Os Avanços e Desafios no Uso de Big Data nas Políticas Públicas Municipais” e teve como objetivo apresentar as experiências de cada cidade e identificar práticas e desafios comuns na execução de seus projetos. O moderador do painel foi Marcus Mentzingen de Mendonça, Coordenador do Projeto Big Data para o Desenvolvimento Urbano Sustentável da FGV e a mesa foi composta por: Cristina de Miranda Costa, Assessora em Políticas Públicas, Planejamento e Gestão da Prefeitura do Município de São Paulo, Vitor Fazio - Coordenador de Plataforma e Inovação da Prefeitura do Município de São Paulo, Jimena Sánchez - Especialista em Dados Abertos de Peru, David Albujar Mesta - Gerente de Sistemas e Tecnologias da Informação do Município de Miraflores, Antonio Sobrino Sánchez- Subdiretor de Governo Eletrônico do Governo Municipal de Xalapa, Gilberto Chazaro García - Chefe da Unidade de Geografia e Estatística do Governo Municipal de Xalapa, Carlos Andrés Isch Pérez - Secretário Geral de Planejamento do Município do Distrito Metropolitano de Quito e Sra. Rosa Elena Guerrero Mafla - Diretora Metropolitana de Gestão da Informação do Município do Distrito Metropolitano de Quito.

“Esse encontro foi um marco do projeto, uma vez que permitiu a interação presencial dos envolvidos – FGV, BID e cidades participantes – e a troca de experiências e de conhecimento aplicado”, enfatizou o coordenador do projeto Marcus Mentzingen de Mendonça.

No segundo dia, foram realizadas sessões interativas entre os pesquisadores e os representantes das cidades participantes do projeto. Também foi realizada uma sessão interativa para cada um dos pilares do projeto. Para saber mais sobre o projeto e o evento realizado, acesse o site.