FGV e Furnas discutem agenda positiva para setor de energia no Brasil

Participaram o presidente de Furnas, Flávio Decat; o presidente da FGV, professor Carlos Ivan Simonsen Leal;  o engenheiro, secretário-executivo de Ciência e Tecnologia de 1995 a 1998 e integrante do Conselho Diretor da FGV, Lindolpho Dias; o diretor da FGV Energia, Carlos Otávio Quintella, e Luiz Roberto Bezerra
Institucional
13 Maio 2014

Ontem, dia 12 de maio, a FGV recebeu o presidente de Furnas, Flávio Decat, em um encontro com o objetivo de estreitar o relacionamento entre as duas instituições e discutir o panorama do setor energético no país.Estiveram presentes o presidente da FGV, professor Carlos Ivan Simonsen Leal;   o engenheiro,  secretário-executivo de Ciência e Tecnologia de 1995 a 1998 e integrante do Conselho Diretor da FGV, Lindolpho Dias; o diretor da FGV Energia, Carlos Otávio Quintella, e Luiz Roberto Bezerra,  da FGV Energia.Na ocasião, foi ainda abordada a elaboração de uma agenda positiva de ações para a melhoria da matriz energética brasileira.A primeira grande hidrelétrica do BrasilFurnas é uma empresa de economia mista ? subsidiária da Eletrobras e vinculada ao Ministério de Minas e Energia ?  dedicada à geração e transmissão de energia elétrica no Brasil.Criada na década de 1950, Furnas teve a missão de sanar a crise energética que ameaçava o país. A Usina de Furnas foi a primeira hidrelétrica de grande porte do Brasil, com capacidade de 1.216 MW, implantada no Rio Grande, Minas Gerais, em 1958.Em 1963, através do Decreto Federal nº 41.066, a empresa Central Elétrica de Furnas começou a funcionar efetivamente, em Passos (MG). Hoje, possui sede no Rio de Janeiro e empreendimentos  no Distrito Federal e nos estados de Minas Gerais, Goiás, Mato Grosso, Espírito Santo, Tocantins, Paraná, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Rondônia, São Paulo, Rio Grande do Norte e Ceará.Sobre a FGV EnergiaA FGV Energia é um centro de estudos ligado à presidência da FGV, que possui como objetivo produzir, promover e disseminar pesquisa e conhecimento na área de energia a fim de fundamentar o posicionamento estratégico da Fundação na área energética, fortalecendo seu reconhecimento e atuação enquanto think tank no setor.O foco da FGV Energia é estudar o setor energético com ênfase em sete grandes áreas (petróleo, gás natural, energia elétrica, nuclear, biocombustíveis, fontes renováveis e eficiência energética), auxiliando empresas privadas e o governo em suas tomadas de decisão, além de estabelecer parcerias com outras instituições e centros de pesquisa, no Brasil e no mundo.