FGV realiza o 5º Seminário de Imprensa Internacional em São Paulo e recebe 11 jornalistas de veículos estrangeiros

O evento discutiu os desafios políticos, econômicos e sociais brasileiros em um cenário de incertezas causadas pelas eleições presidenciais.
Institucional
01 Junho 2022
FGV realiza o 5º Seminário de Imprensa Internacional em São Paulo e recebe 11 jornalistas de veículos estrangeiros

A Fundação Getulio Vargas recebeu nessa segunda, 30 de maio, 11 jornalistas estrangeiros no 5° Seminário para Imprensa Internacional. O evento, que discutiu os desafios políticos, econômicos e sociais brasileiros em um cenário de incertezas causadas pelas eleições presidenciais, foi realizado na Sala FGV, em São Paulo.

A proposta do seminário “Brasil 2023: A corrida eleitoral e os desafios políticos, econômicos e sociais do país” era debater com a mídia internacional aspectos que irão influenciar o país nesse ano eleitoral e os desafios que serão enfrentados pelo novo governo. Participaram do evento jornalistas de países como França, Espanha, Itália, Portugal, Irlanda, China e Japão. Veículos como Libération, El País, Nikkei e CCTV estiveram presentes.

As discussões foram conduzidas pelo economista Emerson Marçal (FGV EESP), pelo jurista Oscar Vilhena Vieira (FGV Direito SP) e pela cientista política Lara Mesquita (FGV Cepesp).

Emerson Marçal apresentou uma perspectiva histórica da macroeconomia do Brasil, além da situação econômica atual do país. O professor da FGV EESP também destacou que o desafio do próximo presidente é escapar dos obstáculos de renda média, do esgotamento do bônus demográfico e aumentar a produtividade, que está estagnada.

Já Oscar Vilhena Vieira destacou o papel do Supremo Tribunal Federal no sistema político brasileiro. Segundo ele, não há tema relevante no Brasil atual que não passe pelo crivo do STF, e isso faz com que alguns setores da política questionem se esta proeminência configura usurpação de poder.

Corrida eleitoral, desafios políticos, econômicos e sociais do país foram os temas centrais abordados pela pesquisadora Lara Mesquita. Ela não acredita que a tão comentada terceira via consiga se viabilizar a ponto de brigar por um lugar no segundo turno das eleições presidenciais. Ela destacou que, olhando para a história da política nacional, a polarização deste ano não é tão extraordinária, visto que a disputa presidencial costuma ficar concentrada entre os dois primeiros colocados, que desde o pleito de 1994 concentram, pelo menos, 70% dos votos no primeiro turno.

“Valorizamos muito esse contato dos nossos especialistas com os profissionais da imprensa. Nossos professores e pesquisadores estão sempre à disposição para ajudar os jornalistas nas análises de cenário. Temos a credibilidade e isenção necessárias para contribuir com a discussão de temas de interesse do Brasil de forma equilibrada e aprofundada”, destacou Patricia Malavez, que lidera a área de relacionamento com a imprensa na Diretoria de Comunicação e Marketing (FGV DICOM) e foi mediadora dos debates. Desde a realização do primeiro Seminário para Imprensa Internacional, em 2017, a exposição da FGV na mídia estrangeira teve crescimento superior a 400%.

Nosso website coleta informações do seu dispositivo e da sua navegação por meio de cookies para permitir funcionalidades como: melhorar o funcionamento técnico das páginas, mensurar a audiência do website e oferecer produtos e serviços relevantes por meio de anúncios personalizados. Para saber mais sobre as informações e cookies que coletamos, acesse a nossa Política de Cookies e a nossa Política de Privacidade.