FGV sedia seminário internacional pelos 130 anos da abolição da escravidão no Brasil
Ciências Sociais
07 Maio 2018

FGV sedia seminário internacional pelos 130 anos da abolição da escravidão no Brasil

O encontro, que será realizado entre os dias 15 e 18 de maio, terá espaço ainda para reflexões que extrapolem os limites do marco cronológico do 13 de Maio, bem como ir além da experiência brasileira.

O ano de 2018 marca os 130 anos da abolição da escravidão no Brasil. A data será tema do II Seminário Internacional – Histórias do Pós-Abolição no Mundo Atlântico, que trará um amplo debate sobre o significado de uma série de aspectos da cultura e da sociedade brasileiras relacionados ao tema. O encontro, que será realizado entre os dias 15 e 18 de maio, terá espaço ainda para reflexões que extrapolem os limites do marco cronológico do 13 de Maio, bem como ir além da experiência brasileira.

Durante o evento, que será realizado na sede da FGV (Praia de Botafogo, 190. Botafogo, Rio de Janeiro/RJ), serão apresentados trabalhos científicos submetidos à organização do evento. Foram enviados 228 trabalhos, dos quais entre 70 e 80 deverão ser selecionados. Os sete eixos temáticos dos trabalhos recebidos, acerca dos quais se darão também as discussões, são: “Memória e História Pública da escravidão e da liberdade”; “Racismo e antirracismo em perspectiva histórica”; “Intelectualidades e ativismos negros”; “Trajetórias e práticas de sociabilidade: raça, classe, gênero e sexualidades”; “Balanço historiográfico do pós-abolição”; “Políticas públicas de reparação para a escravidão atlântica”; e “Reeducação das relações étnico-raciais”.

A abertura do encontro será feita pelo historiador norte-americano Thomas Holt, professor da Universidade de Chicago e especialista no estudo da pós-abolição. “A palestra de Thomas Holt será um dos pontos altos do evento. Ele tem muitas pesquisas relacionadas ao tema sobre a realidade norte-americana e também estudos comparativos com o Brasil”, afirma a professora Ynaê Lopes dos Santos, coordenadora do Laboratório de Estudos Étnico-Raciais da FGV CPDOC.

O encontro será composto por mesas-redondas com pesquisadores convidados, brasileiros e estrangeiros, que tratarão de assuntos relacionados aos eixos-temáticos, além de apresentações dos pesquisadores que submeteram seus trabalhos e também de alunos de iniciação científica e professores da rede básica, que mostrarão o resultado de pesquisas em sala de aula. O seminário é uma iniciativa interinstitucional que conta com a participação da FGV, UFF, UFRRJ, UFRJ, Casa de Rui Barbosa, Unilab e UnB.

“O tema do pós-abolição merece ser mais e melhor estudado. Queremos trazer questões desse período e ver como está o estado das artes desses estudos no Brasil e no exterior”, afirma Ynaê. A professora ressalta que há ainda a preocupação em debater as questões do período pós-abolição com a sociedade. “Queremos tornar o encontro o mais diversificado possível para levar as discussões para além do universo acadêmico”, ressalta Ynaê.

Para mais informações e inscrições, acesse o site.