Fórum de Economia da FGV debate ajustes macroeconômicos para o próximo governo

O encontro é realizado frente a um cenário no qual há indicações que os preços macroeconômicos (taxa de lucro, taxa de juros, taxa de câmbio, taxa de inflação e taxa de salários) estão desajustados no Brasil.
Institucional
15 Setembro 2014

A Escola de Economia de São Paulo (FGV/EESP), em parceria com a Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (FIESP), o Instituto de Estudos para o Desenvolvimento Industrial (IEDI) e o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (DIEESE), organiza o 11º Fórum de Economia. O evento acontece entre hoje e amanhã, 15 e 16 de setembro, em São Paulo.O encontro é realizado frente a um cenário no qual há indicações que os preços macroeconômicos (taxa de lucro, taxa de juros, taxa de câmbio, taxa de inflação e taxa de salários) estão desajustados no Brasil. A taxa básica de juros continua muito elevada, a taxa de câmbio crônica e ciclicamente apreciada, e as oportunidades de investimento deprimidas. Nos anos recentes, depois de uma tentativa de mudar a matriz macroeconômica determinada por esses preços, a taxa de salários aumentou mais que a produtividade e a inflação apresentou tendência à alta. Nesse quadro, o superávit primário diminuiu, enquanto o déficit em conta corrente aumentou. Há, portanto, um desequilíbrio importante dos preços macroeconômicos.Por isso, o fórum se divide em 4 painéis, que discutirão variáveis macroeconômicas prioritárias no processo de ajuste; preços microeconômicos desajustados, como o da energia elétrica e do petróleo; a relação entre salário e produtividade; e a  política industrial do atual governo.Estarão no encontro o ministro da Fazenda, Guido Mantega, os professores e coordenadores do fórum, Luiz Carlos Bresser-Pereira e Nelson Marconi, o presidente do IEDI, Pedro Luiz Barreiros Passos, o diretor do DIEESE, Clemente Ganz Lúcio, o vice-presidente da FIESP, Benjamin Steinbruch, e o presidente da FGV, Carlos Ivan Simonsen Leal, entre outras autoridades e representantes do setor.Para mais informações sobre o 11º Fórum de Economia, clique aqui.