Na fronteira da inovação: Confira as cinco tendências de IA para o futuro próximo

A tecnologia promete revolucionar a forma como as pessoas se relacionam em quase todos os aspectos, incluindo, os sociais e políticos.
Comunicação
13 Março 2024
Na fronteira da inovação: Confira as cinco tendências de IA para o futuro próximo

O laboratório Cubo de Inovação, da Escola de Comunicação, Mídia e Informação da Fundação Getulio Vargas (FGV ECMI), elaborou uma lista com as principais tendências em Inteligência Artificial para os próximos meses. A tecnologia promete revolucionar a forma como as pessoas se relacionam em quase todos os aspectos, incluindo, os sociais e políticos.

  • Maior integração de IA em dispositivos: Entre a Microsoft incorporando o Copilot até no teclado do Windows e a Samsung colocando IA em todas as partes do lançamento do S24 Ultra, a integração de inteligência artificial em dispositivos voltados para o consumidor deve ser uma das maiores tendências do mercado de tecnologia em 2024. Toda grande empresa está entrando na corrida da IA, desenvolvendo seus próprios modelos, caso tenha porte, ou buscando formas criativas de incorporar os modelos de parceiras. Se a assistente virtual já se tornou um padrão, espere vivenciar uma transformação com a sua presença em todo tipo de produto, além de funções “impulsionadas por IA”. Resta esperar para ver quais dessas incorporações vêm para ficar.
     
  • Fake news com inteligência artificial generativa: Se os memes com inteligência artificial generativa já  ganharam seu espaço na internet, em 2024 as fake news criadas com IAG serão uma realidade cotidiana. Os primeiros casos de impacto já estão sendo reportados, e não são poucos: nas primeiras semanas de janeiro, Pedro Bial chamou atenção sobre o uso indevido da sua imagem para vender produtos contra calvície, enquanto uma reportagem no Globo elencou casos de áudios falsos usados em pré-campanha para prefeito. Para as eleições de outubro, o TSE já está trabalhando para regular o uso de IAG nas propagandas eleitorais. Mesmo que sejam bloqueadas em campanhas, o seu uso malicioso está se tornando cada vez mais fácil de acessar e difícil de detectar em redes sociais.
     
  • Mudanças no mercado de trabalho: 2024 promete ser o ano em que a inteligência artificial vai entrar de vez no mercado de trabalho, para o bem ou para o mal dos trabalhadores. A previsão de especialistas é de que a substituição de cargos por rotinas automatizadas seja limitada, porém a integração de IA na rotina profissional, uma realidade em muitas ocupações, vai se tornar cada vez mais comum e sofisticada. Já são visadas novas profissões e cargos para dar conta desse fenômeno, como desenvolvedores de modelos de linguagem, engenheiros de machine learning e especialistas em ética de IA.
     
  • IA customizada: O avanço das inteligências artificiais generativas tem impulsionado uma corrida entre as empresas para lançarem produtos que permitam aos consumidores personalizá-las, exemplificado pela criação de IAs de texto que imitam a escrita do usuário. A capacidade de comprar ou desenvolver modelos de IA, sejam generativas ou de análise, moldadas para o propósito de uso final é muito atrativa para o mercado corporativo, o que vai gerar mais uma linha de serviços no setor. Em relação ao consumidor, por sua vez, o desenvolvimento de chatbots simuladores de "namoradas digitais" tem gerado controvérsias, levando algumas empresas a enfrentar pressão para limitar ou proibir sua distribuição, destacando os desafios éticos e sociais em torno do uso de IA em áreas sensíveis.
     
  • Regulação avança pelo mundo: Governos e reguladores pelo mundo todo já estão cientes da necessidade de regular a criação e uso de inteligências artificiais – a discussão agora é sobre a forma que essa regulação terá. Ano passado, o Brasil debateu o Marco Legal da Inteligência Artificial, enquanto o Parlamento e o Conselho Europeu encontraram um acordo preliminar sobre um conjunto legislativo para todo o bloco. Esses debates vão se estender por todo 2024, em mais países, com as primeiras legislações podendo ser aprovadas ainda este ano.

Esse site usa cookies

Nosso website coleta informações do seu dispositivo e da sua navegação e utiliza tecnologias como cookies para armazená-las e permitir funcionalidades como: melhorar o funcionamento técnico das páginas, mensurar a audiência do website e oferecer produtos e serviços relevantes por meio de anúncios personalizados. Para mais informações, acesse o nosso Aviso de Cookies e o nosso Aviso de Privacidade.