Gestoras de patrimônio estão mais eficientes, diz GVcef

O Centro de Estudos em Finanças (GVcef) da EAESP apresentou uma pesquisa que indica crescimento de cerca de 250%, entre 2002 e 2013, no patrimônio investido nos mil maiores fundos abertos à captação no mercado brasileiro
Institucional
27 Novembro 2013

O Centro de Estudos em Finanças (GVcef) da Escola de Administração de Empresas de São Paulo (FGV/EAESP) apresentou uma pesquisa que indica crescimento de cerca de 250%, entre 2002 e 2013, no patrimônio investido nos mil maiores fundos abertos à captação no mercado brasileiro. A taxa é bastante superior à evolução da economia do país, de 40%.Com base nos dados referentes aos meses de junho de cada ano, o valor aplicado, segundo o GVcef, passou de R$188,72 bilhões para R$657,57 bilhões ? superando o investido na poupança, que somava R$ 538,45 bilhões.No mesmo período, o número de gestoras que administram esses investimentos cresceu 82%, de 83 para 151. O patrimônio líquido médio por gestora, de R$ 2,27 bilhões, também cresceu até 2006, caiu até 2009, e voltou a crescer desde então. Em junho, era de R$ 4,35 bilhões ? o mais alto para o mês de acordo com o levantamento.Para o coordenador do GVcef, William Eid, os dados do estudo se relacionam com o aumento da eficiência das gestoras, que hoje gerem mais patrimônio. Além disso, ele ressalta que esse crescimento estimulou maior diversidade no setor. ?O que a gente nota é que as gestoras menores vêm procurando nichos de mercado?, afirma.