IBRE aponta que preços de laticínios puxam inflação, mas devem cair

Quem costuma ir ao supermercado deve estar se surpreendendo com a alta de preço dos produtos derivados do leite. No acumulado de 12 meses ? ou seja, de novembro de 2012 a outubro de 2013 ?  os laticínios subiram 20,67%, quase quatro vezes mais que a inflação acumulada no mesmo período.
Institucional
07 Novembro 2013

Quem costuma ir ao supermercado deve estar se surpreendendo com a alta de preço dos produtos derivados do leite. No acumulado de 12 meses ? ou seja, de novembro de 2012 a outubro de 2013 ?  os laticínios subiram 20,67%, quase quatro vezes mais que a inflação acumulada no mesmo período, que registrou 5,36% segundo o Índice de Preços ao Consumidor (IPC/FGV).O leite tipo longa vida, que compromete quase 1% do orçamento das famílias, ficou 25% mais caro em 2013, até outubro. Na lista de itens, queijo muçarela, queijo prato, leite em pó, queijo minas e iogurte também sofreram aumentos expressivos, e as menores elevações foram registradas em sorvete, manteiga, queijo parmesão e leite condensado.De acordo com André Braz, economista do Instituto Brasileiro de Economia (FGV/IBRE), isso se deve ao fato de que no final do inverno as condições de pastagem pioram em função da seca, mas ele acredita que essa alta deve ser atenuada em breve. ?Com a chegada do verão o volume de chuvas cresce, as condições de pastagem melhoram e a oferta de leite também. Daqui para frente, o consumidor deve perceber queda no preço do produto e de seus derivados?, explica.O economista também atribui o encarecimento dos produtos ao aumento nos preços das rações derivadas de soja e trigo. ?Em 2013, o preço dos grãos refletiu a desvalorização cambial e certo pessimismo quanto à safra norte-americana?, ressalta.