IBRE completa 60 anos

Institucional
30 Setembro 2011

No sábado, dia 24 de setembro, o IBRE completou 60 anos de existência. Em 1951, o instituto foi criado para produzir indicadores financeiros de grande relevância para a história econômica do país, entre eles o PIB e as Contas Nacionais, hoje calculados pelo IBGE. O IBRE tem por missão pesquisar, analisar, produzir e disseminar estatísticas macroeconômicas e pesquisas econômicas aplicadas, de alta qualidade, que sejam relevantes para o aperfeiçoamento das políticas públicas ou da ação privada na economia brasileira, estimulando o desenvolvimento econômico e o bem-estar social do país.   Desde sua criação, o IBRE desenvolve estudos, pesquisas, análises e diversos indicadores baseados no levantamento de dados econômicos, financeiros, empresariais e de grande relevância social. Entre as estatísticas econômicas produzidas pelo IBRE destacam-se os índices de preço e os indicadores de tendências e ciclos de negócio, de ampla utilização por estudiosos, analistas da economia brasileira e gestores nas esferas pública e privada. O Centro de Economia Aplicada compõe outro pilar que dá base ao instituto: com o objetivo de elaborar estudos sobre a economia nacional, permite uma análise mais profunda sobre a economia brasileira como um todo, além de acompanhar o desempenho de setores importantes de nossa economia, como petróleo e gás, agronegócio, comércio exterior e a relação do Brasil com o resto do mundo, entre outros. O Boletim Macro é o mais novo ?produto? gerado pelo IBRE: analisa e faz projeções mensais sobre a economia brasileira. Composto por oito seções (Atividade Econômica, Sondagens do IBRE, Emprego e Renda, Inflação e Política Monetária, Política Fiscal, Setor Externo, Panorama Internacional e Em Foco IBRE), o Boletim está no ar desde junho deste ano e tem como destaque os desafios da economia brasileira a curto prazo. Mas as novidades não param por aí. Ao entrar nas mídias sociais, o instituto ganhou novos ares, com postagem de conteúdo em maior quantidade, mantendo a qualidade das matérias. Com isso, os acessos mensais ao Portal do IBRE que no começo deste ano giravam na casa dos 138 mil, pularam para 172 mil em agosto último. Sempre com o objetivo de contribuir, através de estudos e trabalhos, para o melhor conhecimento da economia brasileira, mais duas sondagens serão integradas ao portfólio do IBRE que já contempla a Sondagem de Serviços, a do Consumidor e da Indústria: em outubro, deverá ser lançada a Sondagem do Comércio e, ainda este ano, possivelmente em novembro, será a vez da Sondagem da Construção. A internacionalização é outro foco do IBRE. A Sondagem da América Latina tem gerado ampla repercussão nos meios de comunicação da região, bem como na imprensa europeia e dos Estados Unidos. A edição eletrônica The Brazilian Economy, alojada em cinco Câmaras de Comércio, além de ser distribuída a um mailing de 3 mil formadores de opinião em todo o mundo, traz, mensalmente, parte do conteúdo gerado pela revista Conjuntura Econômica. Esta, por sua vez, digitalizada desde 1947, data de sua criação, além da versão impressa, poderá, a partir do próximo mês, ser lida através do Ipad, tanto na versão em língua portuguesa quanto inglesa.