Ibre realiza ciclo de debates com o Instituto Trata Brasil

Institucional
17 Junho 2011

No dia 16 de junho o Ibre em parceria com o Instituto Trata Brasil realizou no auditório da FGV Rio, um ciclo de debates abordando temas na área de saneamento básico e as necessidades de expansão do saneamento no Rio de Janeiro para Copa 2014. A região metropolitana do Rio de Janeiro teve um avanço no que se refere à coleta e ao tratamento de esgoto nos últimos dez anos. No entanto, 31,5% do esgoto residencial produzido no Grande Rio ainda são jogados diretamente no meio ambiente e 19,3% das residências sequer têm acesso à rede coletora de esgoto, segundo dados de 2010. As conclusões são do estudo Desafios do Saneamento em Metrópoles da Copa 2014: Estudo da Região Metropolitana do Rio de Janeiro, divulgado pela FGV. Segundo o coordenador do estudo, Fernando Garcia, o número de domicílios atendidos por rede de esgoto passou de 2,08 milhões em 2000 para 3,17 milhões em 2010, ou seja, um aumento de 53%. Apesar desse avanço, ainda há 753 mil domicílios sem acesso à rede de esgoto, ou seja, 19,3% do total das residências do Grande Rio. A pesquisa da FGV estima que as vidas de 400 crianças seriam salvas por ano, com a consequente melhoria na saúde pública trazida pela universalização do saneamento básico. O estudo da FGV ainda aponta que seriam necessários R$ 250 milhões por ano, até 2014, para universalizar a coleta e o tratamento de esgoto na região metropolitana do Rio. Para Édison Carlos (Presidente do Instituto Trata Brasil) é importante que esse assunto seja tratado pelo poder público como prioridade: A população brasileira não deve permitir que, mais uma vez, o saneamento seja esquecido, em detrimento de outros investimentos, como em estádios, por exemplo, que não trazem benefícios para toda a população, em geral, como o saneamento, comprovadamente, traz, conclui. Na primeira parte, o evento abordou o tema ?Copa do Mundo e soluções dos esgotos? e contou com a participação de Édison Carlos (Presidente do Instituto Trata Brasil), Fernando Garcia ( Professor e pesquisador da FGV), Marilene Ramos (Presidente do INEA), Sibelle Buonora (Mestre em Infectologia pela UFRJ, Médica responsável pela Unidade de Pacientes Internos, IPPMG/UFRJ e Coordenadora da Comissão de Controle de Infeccão Pré-Hospitalar do sistema UPA), Ana Maria Biselli (Diretora Executiva do Fórum dos Operadores Hoteleiros do Brasil) e Lars Grael (Projeto Grael e Embaixador do Instituto Trata Brasil) que ressaltou a importância de programas educacionais nas escolas , mostrando o quanto é fundamental evitar uma metrópole poluída. Em seguida, o evento abordou o tema ?A importância dos projetos e das fontes de financiamento? e contou com a presença de Wagner Victer (Presidente da Nova CEDAE), Carlos André (Caixa Econômica Federal) , Luis Inácio Senos Dantas (Chefe do Departamento de Saneamento Ambiental do BNDES) e João Alberto Viol (Presidente do Sinaenco).