IDE recebe Mirian Goldenberg em ação de aperfeiçoamento de docentes

Para a economista e professora dos MBAs da Rede Management, Myrian Lund, a reflexão sobre diferenças geracionais e culturais foi um dos maiores aprendizados do evento. ?Entender o comportamento cultural (dos alunos) é de fundamental importância para o nosso amadurecimento
Institucional
11 Abril 2014

A Diretoria de Gestão Acadêmica (DGA) do IDE recebeu, no dia 2 de abril, a antropóloga e pesquisadora Mirian Goldenberg, que deu uma palestra sobre corpo, envelhecimento e felicidade para professoras dos cursos de especialização da FGV. A palestra foi parte da programação especial do Programa de Aperfeiçoamento de Docentes (PAD) para o Dia Internacional da Mulher.?As brasileiras sofrem muito em uma cultura em que o corpo é um capital. No entanto, elas se sentem cada vez mais livres para ser diferentes do padrão, para questionar esta cultura. Percebo que, especialmente após os 50 anos, as mulheres priorizam o tempo, o cuidado e o prazer para si mesmas, e deixam de se preocupar tanto com a opinião dos outros. É uma mudança de foco importante e libertadora?, explica a antropóloga, que é professora do Instituto de Filosofia e Ciências Sociais da Universidade Federal do Rio de Janeiro (IFCS-UFRJ).Para Goldenberg, as mulheres ainda pagam um preço por escolhas que contrariam expectativas sociais, como não casar ou não ter filhos, mas esse cenário estaria mudando. ?O preconceito ainda existe ? acredito que é bem maior por parte das próprias mulheres ?, mas está diminuindo, já que muitas mulheres optam por não casar ou não ter filhos, ou ter filhos mais tarde?, afirma. ?A mudança está ocorrendo. O que falta é que essas escolhas sejam cada vez mais legítimas em nossa cultura?.Sobre a palestra na FGV, Goldenberg destacou o interesse das professoras e a identificação com os temas abordados. ?Adorei a experiência e a energia das participantes. Sinto que elas compreenderam que muitos sentimentos e sofrimentos que pensam serem únicos são frutos de nossa cultura, em que o corpo ? magro, jovem, sexy ? é um capital, assim como marido, família e filhos?.Para a economista e professora dos MBAs da Rede Management, Myrian Lund, a reflexão sobre diferenças geracionais e culturais foi um dos maiores aprendizados do evento. ?Entender o comportamento cultural (dos alunos) é de fundamental importância para o nosso amadurecimento, bem como para lidar com este novo público de alunos, que mescla várias gerações e culturas?, destacou.?Ao coordenar o PAD, percebo nos professores uma motivação em debater temas que vão além das formas de atuação em sala de aula. Muitos assuntos comportamentais podem ser abordados para a reflexão do seu papel na sociedade e como docentes. Desta vez, utilizamos esse modelo no especial mês da Mulher, mas pretendemos ter outras palestras com esse foco?, informou uma das coordenadoras da DGA, Raquel Lenziardi.Ao final da palestra, as participantes receberam cópias autografadas do livro ?A Bela Velhice?, de autoria de Mirian Goldenberg, lançado pela editora Record em 2013.