Impacto das redes sociais e da desinformação nas eleições é tema de debate em think tank dos EUA
Políticas Públicas
11 Setembro 2018

Impacto das redes sociais e da desinformação nas eleições é tema de debate em think tank dos EUA

Marco Ruediger observou que a fragmentação dos polos políticos possibilita a emersão de novos entrantes, potencialmente capazes de vencer a eleição. O ressurgimento da direita, de outras centralidades na esquerda, e o enfraquecimento da hegemonia dos partidos tradicionais têm nexo com o uso das redes, que altera a configuração tradicional binária da política e as variáveis de influência no eleitor.

O diretor de Análise de Políticas Públicas (FGV DAPP), Marco Aurelio Ruediger, integrou na última quarta, 5 de setembro, o seminário “Candidates, Voters, and Bots: The Forces at Play in the October 2018 Brazilian Elections” promovido pelo Brazil Institute, do think tank Woodrow Wilson Center, baseado em Washington. O evento discutiu as eleições brasileiras deste ano em um cenário de ascensão de mídias sociais, desinformação e desconfiança nas instituições públicas.

Rudiger participou do segundo painel do seminário: “The Role of Social Media, Bots, and Fake News in the Brazilian Election Campaign”. Meg King, coordenadora do Science, Technology and Innovation Program do Wilson Center completou a mesa ao lado do diretor da FGV DAPP na discussão que teve como foco o papel potencial das mídias sociais, notícias falsas e robôs nas eleições deste ano.

O diretor da FGV DAPP observou que a fragmentação dos polos políticos possibilita a emersão de novos entrantes, potencialmente capazes de vencer a eleição. O ressurgimento da direita, de outras centralidades na esquerda, e o enfraquecimento da hegemonia dos partidos tradicionais têm nexo com o uso das redes, que altera a configuração tradicional binária da política e as variáveis de influência no eleitor.

“As eleições brasileiras podem ser muito influenciadas por seus vizinhos e por países que têm interesses estratégicos e econômicos no Brasil, como China e Rússia. A notícia falsa sempre existiu na política. Não é algo novo. A diferença é que se podem criar milhares e milhares de perfis falsos para espalhar essas notícias falsas em segundos. Isso é desinformação, e isso é bastante problemático para uma sociedade democrática”, afirmou Ruediger.

O primeiro painel, “Assessing the Field of Presidential Hopefuls”, apresentou um panorama geral das eleições e do momento político brasileiro. Especialistas debateram estratégias de recuperação da economia, o panorama dos usuários de internet no Brasil e as investigações de casos de corrupção no país nos últimos quatro anos.

A FGV DAPP inaugurou, no fim de julho, a Sala de Democracia Digital para monitorar o debate público e o impacto das práticas de desinformação nas redes sociais durantes as eleições de 2018. Para conhecer a iniciativa, acesse o site.