Lia Valls discute relação Brasil-China

Institucional
24 Março 2011

Brasil e China são companheiros ou aliados em suas relações econômicas? Qual a importância da China para a continuidade do crescimento do Brasil? A redução do apetite chinês por matérias primas vai impactar nossa economia?  Na última sexta-feira, dia 25 de março, a coordenadora do Centro de Comércio Exterior do Ibre, Lia Valls, recebeu no Auditório Thompson Motta uma delegação de executivos suecos e noruegueses de variadas instituições ? Nordea Bank; Skanska Pension Fund; KF Invest, entre outras ? com o intuito de debater a relação Brasil-China, bem como de outras relações comerciais bilaterais importantes.Atualmente a China é o país que mais exporta no mundo - superando o Japão, que durante 40 anos ocupou o pódio como a segunda maior potência mundial- e o Brasil, de um certo modo, perdeu uma boa parte do mercado de exportação para  os chineses. Lia Valls exemplificou este fato com a relação de produtos brasileiros exportados para o EUA nos dias de hoje (9,6%) em relação há alguns anos (23,8%).Contudo, a economista do Ibre explica que não temos os chineses como aliados - mesmo porque a economia brasileira ascendeu com seu crescimento - e sim como competidores, principalmente em engenharia elétrica. Com mais exportações do que importações, a balança comercial brasileira tem a China como principal comprador (commodities e soja), em seguida o EUA (petróleo) e a Argentina.A China é o país que mais exporta produtos manufaturados ? sendo estes os mais importantes para o Brasil e Argentina ? e até o momento não existe outro país que substitua sua produção. Entretanto, os investimentos chineses em nosso país são inúmeros, gerando força para um crescimento econômico significativo. Outro ponto discutido no seminário foi a relação crescente e positiva do Brasil com a África, enquanto a China não tem a mesma receptividade naquele continente. Segundo Lia Valls, esta proximidade se dá, entre outros motivos, por semelhanças culturais.Um fato relevante para o Brasil em relação à China é a produção agropecuária ? eles são carentes em alimentos e energia, fazendo com que fiquemos à frente nestes quesitos. Porém, problemas como a dificuldade de erradicar a pobreza e aumentar ofertas de emprego fazem com que ambos estabeleçam o mesmo patamar crítico social.