Novo prédio da FGV terá o nome do economista Roberto Campos

Com área total de 5.400 m², o novo prédio é composto de salas de aula convencionais, auditórios em formato de ferradura, laboratório de informática, salas para metodologia de ensino Problem Based Learning, espaços de estudo em grupo e áreas de convivência de alunos, bem como o espaço técnico-administrativo para a EBAPE.
Institucional
27 Março 2017

A Fundação Getulio Vargas inaugura, em 27 de março, às 18h, na rua Jornalista Orlando Dantas, em Botafogo, o novo prédio que abrigará a Escola Brasileira de Administração Pública e de Empresas (EBAPE). A instalação será batizada com o nome do economista Roberto Campos, que ao longo de sua vida pública ocupou os cargos de embaixador, ministro do Planejamento, senador e deputado federal.

“Decidimos dar ao novo prédio o nome do Roberto Campos para seguir a linha de homenagens às grandes personalidades da área econômica que contribuíram para a formação da FGV. O ex-ministro integra o grupo seleto de pessoas que tiveram um papel importantíssimo na condução da FGV ao que ela é hoje”, afirma o vice-presidente da FGV, Sergio Quintella.

O novo prédio é a quinta instalação própria da FGV a homenagear brasileiros notáveis que têm uma relação direta com os primeiros anos da instituição. O edifício sede, na Praia de Botafogo, chama-se Luiz Simões Lopes, nome do primeiro presidente da FGV, que também nomeia o prédio da Av. Paulista. O campus da Candelária, no Centro do Rio, foi batizado com o nome de Otávio Gouveia de Bulhões, que foi ministro da Fazenda e presidiu o Instituto Brasileiro de Economia (IBRE). Outro prédio, em Botafogo (na Rua Barão de Itambi), também recebeu o nome de um importante economista, o professor Eugênio Gudin Filho, que foi igualmente ministro da Fazenda. Gudin ocupou a vice-presidência da FGV, de 1960 a 1976, mas desde a década de 40 mantinha vínculos com a Fundação.

Com área total de 5.400 m², o novo prédio possui três pavimentos e subsolo. É composto de salas de aula convencionais, auditórios em formato de ferradura, laboratório de informática, salas para metodologia de ensino PBL (Problem Based Learning), espaços de estudo em grupo e áreas de convivência de alunos, bem como o espaço técnico-administrativo da escola.  O prédio tem capacidade máxima para 616 alunos, além de 120 lugares para estudo em grupo.

Nosso website coleta informações do seu dispositivo e da sua navegação por meio de cookies para permitir funcionalidades como: melhorar o funcionamento técnico das páginas, mensurar a audiência do website e oferecer produtos e serviços relevantes por meio de anúncios personalizados. Para saber mais sobre as informações e cookies que coletamos, acesse a nossa Política de Cookies e a nossa Política de Privacidade.