Perspectivas econômicas do agronegócio brasileiro são debatidas em São Paulo

Durante o evento serão discutidos os entraves e o futuro do setor e seu impacto nos demais setores da economia por convidados como Alan Bojanic, representante das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação no Brasil (FAO) e do ex-ministro da Agricultura e coordenador da FGV Agro, Roberto Rodrigues.
Economia
14 Março 2018
Perspectivas econômicas do agronegócio brasileiro são debatidas em São Paulo

Motor da economia em 2017, a agronegócio volta para o centro do debate no I Seminário Desafios e Perspectivas do Agronegócio Brasileiro, em São Paulo, dia 16 de março, a partir das 9h20. Durante o evento, promovido pela Revista Conjuntura Econômica e pelo Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (FGV IBRE), serão discutidos os entraves e o futuro do setor e seu impacto nos demais setores da economia. O seminário contará com a presença de Alan Bojanic, representante das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação no Brasil (FAO) e do ex-ministro da Agricultura e coordenador da FGV Agro, Roberto Rodrigues.

Segundo estimativas de especialistas, o PIB da agropecuária no Brasil poderia atingir 23% se fossem considerados na conta os valores de insumos, a atividade agroindustrial e os serviços ligados a atividades do campo. “No evento, debatemos o papel do agronegócio, setor que mais aumentou a produtividade nos últimos anos, enquanto os demais apresentaram perda. Dessa forma, mostra-se toda a importância do agronegócio para os demais setores da economia”, destaca Claudio Considera, pesquisador associado do FGV IBRE e responsável pelo Monitor do PIB.

Na parte da manhã, os especialistas discutem o mercado de commodities. Participam da mesa Luiz Cornacchioni, diretor executivo da Associação Brasileira do Agronegócio (ABAG); Cesário Ramalho da Silva, presidente do Conselho do Global Agrobusiness Fórum; Celso Vegro, diretor técnico do Instituto de Economia Agrícola (IEA); e Fernando Lobo Pimentel, sócio da Agrosecurity Consultoria e da Agrometrika Informática.

Já à tarde, haverá três mesas. A primeira traz como tema as mudanças na economia mundial e seus reflexos sobre o agronegócio brasileiro, com a participação de Alan Bojanic, da FAO; Luís Rangel, secretário de Defesa Agropecuária do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA); do diretor geral da Agroicone, Rodrigo Lima; e da especialista em comércio exterior do FGV IBRE, Lia Valls Pereira, que será moderadora do painel.

Os especialistas também irão analisar os gargalos em logística e infraestrutura que levam a uma grande perda de eficiência e impedem o Brasil de ser ainda mais competitivo no setor. A falta de crédito e acesso a novas tecnologias, além de ausência do seguro rural, também são apontados como fatores de entrave. Essa mesa, moderada pelo coordenador da FGV Agro, Roberto Rodrigues, contará com a presença de Edeon Vaz Ferreira, diretor executivo do Movimento Pró-Logística (Aprosoja); Evaristo Eduardo de Miranda, chefe geral do Grupo de Inteligência Territorial Estratégica (GITE) da Embrapa; e Adailton Cardoso Dias, diretor executivo da Empresa de Planejamento em Logística (EPL). 

A última mesa lança um olhar para o futuro, com debate sobre o avanço no campo tecnológico. Participam das discussões, moderadas pelo vice-presidente da Sociedade Nacional de Agricultura (SNA), Tito Ryff, o vice-presidente da Associação Brasileira do Agronegócio (ABAG), Francisco Matturro; o chefe geral da Embrapa Sudeste, Rui Machado, e o presidente da Datagro Consultoria e líder do RenovaBio, Plínio Nastari.

Para mais informações e inscrições, acesse o site.