Presidente da GranBio fala sobre potencial do Etanol Celulósico no Brasil

Dentre os assuntos abordados, Gradin comentou o potencial do etanol celulósico e as vantagens competitivas para sua produção no Brasil, as políticas internacionais de incentivo ao seu desenvolvimento (carbon pricing) e as experiências da GranBio com a planta Bioflex, seus desafios, planejamento, erros, acertos e lições aprendidas.
Energia
05 Outubro 2017
Presidente da GranBio fala sobre potencial do Etanol Celulósico no Brasil

A FGV Energia recebeu, no dia 28 de setembro, o presidente da GranBio, Bernardo Gradin. O convidado falou sobre a realidade atual e perspectivas do etanol celulósico, baseado em sua visão e experiências como pioneiro produtor brasileiro do chamado etanol de segunda geração. O evento integra a série de palestras “Energia em Foco”.

Dentre os assuntos abordados, Gradin comentou o potencial do etanol celulósico e as vantagens competitivas para sua produção no Brasil, as políticas internacionais de incentivo ao seu desenvolvimento (carbon pricing) e as experiências da GranBio com a planta Bioflex, seus desafios, planejamento, erros, acertos e lições aprendidas.

Exemplificando o potencial do etanol celulósico, o palestrante mostrou que se fossem usados 100 milhões de hectares de pastagens para o cultivo de cana-energia voltada para a produção conjunta de etanol de primeira e de segunda geração, o Brasil produziria etanol suficiente para substituir toda a gasolina consumida no mundo.

A FGV Energia promove, desde 2014, a série de palestras “Energia em Foco”, com profissionais da alta gestão do setor energético. O objetivo é debater os desafios políticos, econômicos e tecnológicos para o seu desenvolvimento no Brasil.