Rentabilidade de imóveis comerciais mostra sinais de recuperação lenta
Economia
06 Fevereiro 2018

Rentabilidade de imóveis comerciais mostra sinais de recuperação lenta

A redução no ritmo de queda da taxa de retorno do capital atualizada no último trimestre de 2017 compensou a desaceleração da taxa anualizada de retorno da renda no período, fazendo com a que a taxa anualizada total ficasse praticamente inalterada com relação à verificada no trimestre anterior (-6,66%), interrompendo a trajetória de queda contínua dos últimos trimestres.

O Índice Geral do Mercado Imobiliário – Comercial (IGMI-C) do Instituto Brasileiro de Economia (FGV IBRE), referente ao quarto trimestre de 2017, apresentou taxas de retorno da renda, capital e total de, respectivamente, 1,75%, 0,15% e 1,89%, sobre o trimestre anterior. Após seis trimestres consecutivos em contração, a taxa de retorno do capital apresentou uma variação positiva. Por sua vez, a taxa de retorno da renda também reverteu a tendência de desaceleração verificada nos trimestres anteriores. Como consequência, a taxa de retorno total também apresentou uma aceleração com relação à observada no terceiro trimestre de 2017 (1,40%). Com este resultado, a taxa de retorno total anualizada interrompeu a tendência de redução que vinha sendo observada desde o último trimestre de 2013.

As taxas anualizadas de retorno da renda, capital e total foram de 7,23%, -0,54% e 6,67%, respectivamente. A redução no ritmo de queda da taxa de retorno do capital atualizada no último trimestre de 2017 compensou a desaceleração da taxa anualizada de retorno da renda no período, fazendo com a que a taxa anualizada total ficasse praticamente inalterada com relação à verificada no trimestre anterior (-6,66%), interrompendo a trajetória de queda contínua dos últimos trimestres. A recessão atravessada pela economia brasileira entre o segundo trimestre de 2014 e o último de 2016 foi uma das mais longas e profundas da história recente, e seus efeitos negativos sobre a rentabilidade do setor imobiliário comercial foram evidentes.

Os resultados do IGMI-C mostram que os primeiros efeitos da retomada do nível de atividade da economia brasileira sobre a recuperação na rentabilidade do setor começam a aparecer, ainda que lentamente. 

O resultado completo está disponível no site.