Seminário da FGV discute desafios da indústria marítima e do setor de offshore brasileiro

Especialistas em Direito Marítimo e regulação estatal do Brasil e da Noruega vão debater sobre o crescimento das atividades de óleo e gás no Brasil e os desafios da regulação do apoio marítimo e offshore
Institucional
10 Setembro 2014

A Escola de Direito do Rio de Janeiro (FGV DIREITO RIO) e a Associação Brasileira dos Armadores Noruegueses (ABRAN) promovem, no dia 16 de setembro, o I Seminário Brasil x Noruega. O evento acontece no edifício sede da FGV, na Praia de Botafogo, no Rio de Janeiro, entre 8h30 e 12h30.Na ocasião, especialistas em Direito Marítimo e regulação estatal do Brasil e da Noruega vão debater sobre o crescimento das atividades de óleo e gás no Brasil e os desafios da regulação do apoio marítimo e offshore. Hoje as empresas brasileiras do setor atuam diante de um mercado  desafiador, com grandes oportunidades de crescimento, mas ao mesmo tempo repleto de desafios impostos por uma infinidade de normas e interpretações dos órgãos responsáveis.Estarão presentes no encontro autoridades e representantes da indústria, como a cônsul geral da Noruega, Helle Klem, o diretor da FGV DIREITO RIO, Joaquim Falcão, o presidente da ABRAN, José Roberto Neves, o gerente de Afretamento da ANTAQ, Rômulo Castelo Branco, o gerente geral da área de Serviços de Logística de E&P da Petrobras, Ronaldo Dias, entre outros.O diretor executivo da ABRAN, Ricardo Cesar Fernandes, acredita que existe uma necessidade de oferecer maior estabilidade e que previsibilidade é essencial para criar condições de crescimento sustentável e de longo prazo dessa indústria. ?Simplificar procedimentos, reduzir a burocracia e oferecer um ambiente de negócios mais estável são elementos que poderão criar ainda mais oportunidades de crescimento?, completa.Ainda segundo Ricardo, o seminário será uma excelente oportunidade para troca de experiências entre os dois países. ?Atualmente o Brasil ocupa uma posição de liderança na indústria offshore, sobretudo com relação aos investimentos anuais. Já a Noruega, por sua vez, conta com uma avançada indústria marítima e de navegação?, frisa.Para mais informações sobre a programação do evento, que é restrito a convidados, clique aqui.