Simpósio Internacional debate ingresso do Brasil na OCDE em Stanford
Políticas Públicas
11 Maio 2018

Simpósio Internacional debate ingresso do Brasil na OCDE em Stanford

A exposição do professor retoma o debate sobre o pedido do ingresso do Brasil na Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), solicitado em meados de 2017 e com a análise paralisada pelos EUA, mesmo com apoio da burocracia e de outros membros da OCDE.

Bruno Salama, professor da Escola de Direito de São Paulo (FGV Direito SP), participou do Simpósio de Direito Internacional organizado pelo Stanford Journal, com o tema “Mudanças e Desafios: Atualidades de Políticas de Comércio Internacional”. Salama falou sobre o tema “Ingresso do Brasil na OCDE: o que está em jogo para o Brasil e para os Estados Unidos?". O encontro foi realizado no último dia 5 de maio.

A exposição do professor retoma o debate sobre o pedido do ingresso do Brasil na Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), solicitado em meados de 2017 e com a análise paralisada pelos EUA, mesmo com apoio da burocracia e de outros membros da OCDE.

O ingresso do país na OCDE seria um importante sinalizador para os investidores internacionais, principalmente após a redução do investment grade do Brasil e do clima de instabilidade econômica. “A adesão a OCDE também pode fortalecer o comprometimento do país com as reformas de política econômica”, analisa o professor.

Salama argumenta também que a entrada do Brasil na OCDE tem uma dimensão estratégica porque os Estados Unidos não conseguirão moldar a economia internacional trabalhando com uma variedade pequena de países. "O espaço cedido pelos Estados Unidos poderá ser ocupado pela China", concluiu o professor.