Tensão entre Estados Unidos e China e desaceleração da economia mundial aumentam incerteza em setembro de 2019

Fatores internos também contribuíram para a evolução desfavorável do indicador, com destaque para temas como a reforma tributária e há dúvidas quanto ao ritmo de crescimento da economia brasileira
Economia
01 Outubro 2019
Tensão entre Estados Unidos e China e desaceleração da economia mundial aumentam incerteza em setembro de 2019

O Indicador de Incerteza da Economia (IIE-Br) da Fundação Getulio Vargas subiu 2,7 pontos entre agosto e setembro de 2019, para 116,9 pontos, mantendo-se elevado em termos históricos. Em médias móveis de seis meses, o indicador subiu pela segunda vez consecutiva, desta vez em 1,3 ponto.

“Assim como no mês passado, a alta do Indicador de Incerteza brasileiro em setembro foi motivada majoritariamente por questões externas como a tensão comercial entre EUA e China e a possibilidade de uma desaceleração mais forte da economia mundial em 2020. Mas neste mês, fatores internos também contribuíram para a evolução desfavorável do indicador, com destaque para temas como a reforma tributária e há dúvidas quanto ao ritmo de crescimento da economia brasileira“, afirma Aloisio Campelo Jr, Superintendente de Estatísticas Públicas do Instituto Brasileiro de Economia (FGV IBRE).

Em setembro, os dois componentes do IIE-Br evoluíram no mesmo sentido. O componente de Mídia, com maior peso, subiu 1,5 ponto, para 115,9 pontos, contribuindo em 1,4 ponto para o resultado agregado. O componente de Expectativa, após acumular uma queda de 22,8 pontos em agosto e setembro, registrou alta de 5,8 pontos, para 113,7 pontos, contribuindo com 1,3 ponto para o comportamento final do indicador.

O estudo completo está disponível no site.