Vice-presidente do CIRET fala, no Ibre, sobre inflação e consumo na Itália

Institucional
07 Abril 2011

 Os italianos superestimam as taxas de inflação, reflexo do seu histórico de altas taxas inflacionárias e da crise econômica dos anos 70. A afirmação foi feita pelo especialista internacional em expectativas do consumidor e vice-presidente CIRET e ISTAT/Itália, Marco Malgarini. O seminário, promovido pelo Ibre e EPGE, abordou as expectativas de inflação do ponto de vista do consumidor, bem como os modelos de pesquisa aplicados na Itália.Estiveram presentes na palestra economistas do Ibre, professores e alunos da EPGE e especialistas do Banco Central ? instituição que vem solicitando ao Ibre o desenvolvimento de novos indicadores que captem as expectativas inflacionárias no país. A pesquisa feita com os consumidores italianos usou referências quantitativas e qualitativas. Iniciada em fevereiro de 2003, a sondagem avaliou a sensação da inflação dos últimos doze meses e as expectativas para os doze meses seguintes. Malgarini revelou que o consumidor italiano pouco sabe sobre as oscilações de preços dos produtos que adquire, reclamando somente das altas. Foi explicado também que a maioria dos consumidores do sul da Itália - região mais pobre que o Norte - tem uma impressão mais negativa sobre a economia e está propensa a superestimar as taxas de inflação. Esses consumidores, de uma forma geral, sofrem com baixa escolaridade e, consequentemente, também podem enfrentar dificuldade com emprego. O especialista detalha que este público, portanto, dá respostas de acordo com o tipo de vida que leva e não avalia as condições de mercado ? o que pode ser chamado de ?consumidor míope?.A segunda parte do seminário teve como objetivo identificar como as pessoas formam expectativas em relação à inflação. Foram apresentados então modelos que estudam esta previsão. Ao final, foi discutido se fatos, como a estimativa dos ?experts?, influencia a expectativa das pessoas, e se a meta de inflação do Banco Central (2% ao ano) também pode influir. Após o seminário, Marco Malgarini realizou, durante dois dias, reuniões internas com os técnicos do Ibre.