Webinar discute perspectivas para o agronegócio brasileiro

Os participantes irão falar sobre o cenário atual do agronegócio, no qual, mesmo vivenciando uma crise econômica sem precedentes, com importantes impactos em todo o setor produtivo, no Brasil e no mundo, muitos economistas estimam um crescimento de 2,4% do PIB da agropecuária nacional para 2020, na contramão da queda de 5% prevista para o PIB brasileiro
Economia
01 Junho 2020
Webinar discute perspectivas para o agronegócio brasileiro

O FGV Transportes promove, no dia 3 de junho, o webinar “As perspectivas atuais e futuras para o agronegócio brasileiro”. O evento será realizado a partir das 14h30 e vai debater o cenário para este setor que deverá alcançar 250 milhões de toneladas de grãos na safra atual, evitando, assim, uma queda ainda maior do PIB nacional, visto que grande parte desse volume já está vendido.

Participam do debate o senador Wellington Fagundes, Presidente da Frente Parlamentar Mista de Logística e Infraestrutura (FRENLOGI), Roberto Queiroga, Diretor Executivo da Associação das Empresas Cerealistas do Brasil (ACEBRA) e Edeon Vaz Ferreira, Diretor Executivo do Movimento Pró-Logística de Mato Grosso.

Os participantes irão falar sobre o cenário atual do agronegócio, no qual, mesmo vivenciando uma crise econômica sem precedentes, com importantes impactos em todo o setor produtivo, no Brasil e no mundo, muitos economistas estimam um crescimento de 2,4% do PIB da agropecuária nacional para 2020, na contramão da queda de 5% prevista para o PIB brasileiro.

Para se ter uma ideia, em abril deste ano as exportações brasileiras tiveram números impressionantes, com uma participação de 55,8% do agronegócio no total exportado, maior índice já registrado até hoje. Esse resultado deve ser creditado às vendas de soja e carne bovina. Na prática, todas as empresas brasileiras exportadoras de commodities agrícolas estão levando vantagem em virtude da alta cotação do dólar americano, situação que tornam mais competitivos os produtos nacionais.

Além disso, a China comprou, em 2020, cerca de 31% dos produtos brasileiros exportados para o mundo, percentual maior que o total vendido para a União Europeia, Estados Unidos e Argentina juntos. Arábia Saudita, Emirados Árabes Unidos e Rússia também foram importantes compradores de commodities agrícolas brasileiros.

Por outro lado, as usinas de álcool enfrentam a queda da demanda interna, decorrente das restrições de mobilidade impostas pelos governos estaduais e municipais, associada ao baixíssimo preço do petróleo, que tira a competitividade do etanol. Além disso, a diminuição no consumo de roupas, de um modo geral, está afetando o mercado de algodão.

Certamente, o mercado financeiro internacional de commodities agrícolas sofrerá impactos em decorrência da pandemia e o Brasil precisa ficar atento às oscilações e volatilidades do câmbio no mundo e também com as conjunturas econômicas dos países asiáticos.

A partir das expertises e experiências dos palestrantes convidados, o webinar pretende explorar todo esse panorama e também entender como o agronegócio consegue enfrentar as dificuldades impostas pela precária infraestrutura de transporte e pelos altos custos logísticos em nosso país.

Para mais informações sobre o evento e inscrições acesse o site.