Determinantes do bem-estar da população brasileira

  • Determinantes do bem-estar da população brasileira
    Resumo

    Os resultados sugerem que tanto as variáveis objetivas (renda, desemprego) quanto as subjetivas são relevantes para explicar a satisfação dos indivíduos com a vida e que a inclusão destas últimas melhora o fit dos modelos. Os resultados destas pesquisas colaboram, por exemplo, para que governos evitem atender apenas a grupos de interesses exclusivos, considerando os efeitos de transbordamentos de suas intervenções e por oferecem uma visão única das preferências sociais para diferentes trade-offs das políticas públicas de cada país. Dadas as vantagens de pesquisas de caráter subjetivo, a Sondagem do Bem-Estar estuda quais são os fatores que influenciam na determinação do bem-estar dos cariocas e dos paulistas. Além disso, também houve a preocupação em medir os efeitos no bem-estar causados pelas Olimpíadas 2016 sediada no Rio de Janeiro. Para isso, a cidade de São Paulo foi escolhida como cidade controle do estudo.

Cadastre-se para receber novidades do Think Tank FGV

Autor

  • Aloisio Campelo

    Bacharel em Ciências Econômicas pela PUC-RJ, com Diploma em Economics for Development da Queen Mary College. MBA em Finanças Empresariais e Mestrado em Economia Empresarial pela FGV. Atualmente é economista do Instituto Brasileiro de Economia (FGV IBRE), onde coordena o departamento produtor de sondagens de tendência.

  • Viviane Seda Bittencourt

    Possui mestrado em Economia pela Fundação Getulio Vargas (2011). Atualmente é coordenadora do Núcleo de Ciclos Econômicos do Instituto Brasileira de Economia. Tem experiência na área de pesquisa, macroeconomia, consumidor, confiança e ciclos econômicos.

  • Fernanda Machado

    Mestranda na University of Warwick: MSc Behavioural and Economic Science (2017-2018) e graduada em Ciências Econômicas pelo IBMEC RJ (2013-2016). Foi Bolsista – Assistente de Pesquisa no FGV IBRE. 

  • João Renato Leripio

    Mestre em Economia pela Universidade Federal Fluminense (UFF). Atua como pesquisador na Companhia de Planejamento do Distrito Federal (CODEPLAN). Participou do RIDGE Summer School em Montevidéu (UY) e do Dynare Summer School em Le Mans (FR). Tem habilidades com programação na linguagem R para análise de dados, estatística e econometria. Apresentou trabalhos nos duas edições do Seminário Internacional de Estatística com R (SeR) organizado pelo Instituto de Matemática e Estatística da UFF, com a premiação de terceiro lugar na edição de 2017 com o trabalho "The drivers of break-even inflation in Brazil: a LASSO approach.