Setembro Amarelo: Prevenção ao Suicídio - Pela Valorização da Vida

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), 800 mil pessoas morrem por suicídio a cada ano no mundo, estima-se que a cada 40 segundos uma pessoa põe fim a sua vida.

Ciências Sociais
19/09/2022
Bruna Ruffoni
Helena Giolito

O Setembro Amarelo é uma campanha que tem como objetivo sensibilizar as pessoas sobre o suicídio, uma prática que vem crescendo notoriamente no Brasil e no mundo. E que ainda é tratado como tabu em nossa sociedade.

O suicídio é um fenômeno multifatorial, e isso o torna tão complexo pois, fatores biológicos, genéticos, psicológicos, sociais, culturais e ambientais influenciam diretamente.

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), 800 mil pessoas morrem por suicídio a cada ano no mundo, estima-se que a cada 40 segundos uma pessoa põe fim a sua vida. Pensando nos jovens, em idade entre 15 e 29 anos, o suicídio é a segunda causa de morte recorrente, ficando atrás somente para acidentes de carro.

 O Relatório Mundial de Saúde Mental de 2022, divulgado pela OMS apresenta que as consequências da pandemia da covid-19 revelam uma grande preocupação com a saúde mental da população mundial, pois apenas no primeiro ano da pandemia, 53 milhões de pessoas desenvolveram depressão e 76 milhões tiveram ansiedade, totalizando 129 milhões, alta de 28% e 26% de incidência desses transtornos

No Brasil, mais de 12 milhões sofrem de depressão e os registros apontam para aproximadamente 14 mil casos de suicídio por ano, ou seja, em média 38 pessoas cometem suicídio por dia.

Olhando para essas estatísticas assustadoras é possível perceber que falar sobre o tema é fundamental para que políticas públicas relacionadas a prevenção do suicídio possam ser pensadas e para que possamos reconhecer possíveis sinais de alerta em nós ou em pessoas próximas.

Nesse contexto, a prevenção do suicídio se torna cada vez mais necessária e precisamos estar atentos aos seguintes sinais:

  • - Isolamento;
  •  
  • - Desinteresse em atividades que antes eram prazerosas;
  •  
  • - Mudança no sono;
  •  
  • - Agressividade;
  •  
  • - Falas como: “ estou cansado da vida”, “não quero mais viver”, “quero morrer” entre outras.
  •  

De acordo com a Cartilha Suicídio – Saber, Agir e Prevenir, elaborada pelo Ministério da Saúde, existem algumas atitudes que podemos tomar diante de uma pessoa sob o risco de suicídio, são elas:

  • - Encontre um momento apropriado para falar sobre suicídio com essa pessoa. Deixe-a saber que você está lá para ouvir;
  •  
  • - Incentivar a pessoa a procurar ajuda de um profissional;
  •  
  • - Se você acha que essa pessoa está em risco imediato, não a deixe sozinha. Procure ajuda de uma emergência médica e informe algum familiar da pessoa;
  •  
  • - Se a pessoa com quem você está preocupado mora com você, assegure-se que ela não tenha acesso a meios que podem provocar a própria morte, como por exemplo: pesticidas, armas de fogo ou medicamentos.
  •  

Vale ressaltar que a pessoa que pensa em suicídio não quer morrer, ela quer acabar com a dor que está sentindo e que não consegue dar conta. Ter apoio nesse momento é fundamental.  A escuta é muito importante nesse processo, a pessoa que está em sofrimento precisa ser acolhida e ser ouvida sem julgamentos. “ Quando você escuta o outro, está dizendo para ele: Eu tenho um lugar para você em mim” (trecho do livro O Palhaço e o Psicanalista). Ela precisa perceber que não está sozinha e que existe saída para o seu sofrimento. Ter um olhar empático para a dor do outro pode sim ser uma medida de proteção as pessoas que pensam em suicídio!

Nesse contexto de escuta, o Centro de Valorização da Vida – CVV, é um serviço voluntário e gratuito de apoio emocional e de prevenção de suicídio para todas as pessoas que precisam conversar. O serviço é sigiloso e anônimo, o contato com o CVV pode ser feito através do telefone 188, 24 horas por dia e sem custo na ligação.

Quando o assunto é prevenção do suicídio, falar é a melhor solução!

Empenhados em contribuir com o desenvolvimento socioemocional dos nossos universitários, o Núcleo de Apoio Pedagógico ao Ensino das Escolas da Fundação Getulio Vargas no Rio de Janeiro e em Brasília procura fazer um trabalho de acolhimento, escuta ativa e acompanhamento pedagógico e psicopedagógico aos estudantes trazendo dentre outras ações para a pauta de debates, temas e especialistas que possam contribuir com relevância para o aprimoramento da saúde mental dos nossos jovens.

Desde 2017, ampliamos os espaços de discussão sobre a importância da Prevenção ao Suicídio e a Valorização da Vida e realizamos no mês de setembro o evento Setembro Amarelo – Pela Valorização da Vida com a presença de vários estudiosos sobre a temática em questão.

Fontes:

https://www.fsfx.com.br/setembro-amarelo-129-milhoes-de-pessoas-desenvolveram-depressao-ou-ansiedade-durante-pandemia/ Acesso em: 09 set 2022

https://www.setembroamarelo.com  Acesso em: 09 set 2022

https://www.sbcm.org.br/v2/index.php/not%C3%ADcias/3154-cartilha-orienta-prevencao-ao-suicidio  Acesso em: 09 set 2022

*As opiniões expressas neste artigo são de responsabilidade exclusiva do(s) autor(es), não refletindo necessariamente a posição institucional da FGV.

Autor(es)

  • Bruna Ruffoni

    Pedagoga e psicopedagoga do Núcleo de Apoio Pedagógico (FGV NAP) desde 2011. É Graduada em Pedagogia, Pós-Graduada em Psicopedagogia Clínica e Institucional e em Educação Especial e Neurociência. Em 2022 iniciou o curso de Graduação em Psicologia.

  • Helena Giolito

    Coordenadora e responsável pela criação do Núcleo de Apoio Pedagógico FGV NAP) desde 2001. É graduada em Pedagogia e Biologia, pós-graduada em Psicopedagogia Clínica e Institucional, Avaliação Educacional e Novas Tecnologia em Educação e no Treinamento Empresarial  e mestre em Bens Culturais e Projetos Sociais.

Artigos relacionados

Últimos artigos

Nosso website coleta informações do seu dispositivo e da sua navegação e utiliza tecnologias como cookies para armazená-las e permitir funcionalidades como: melhorar o funcionamento técnico das páginas, mensurar a audiência do website e oferecer produtos e serviços relevantes por meio de anúncios personalizados. Para mais informações, acesse o nosso Aviso de Cookies e o nosso Aviso de Privacidade.